CREPÚSCULO DA LEI – XIX*

Como é bom viver em um planeta sob a proteção dos EUA! São tão generosos com o mundo, sempre justos em demasia e levam constantemente a democracia e a paz para todas as nações.

A preocupação com a justiça e a paz é tanta que, desde o término da última grande guerra (1949), os EUA já se envolveram em pelo menos duzentos e dez conflitos violentos, média de três guerras por ano. Tudo para nos proteger de tiranos e ditadores. Sem dúvida eles – EUA – têm uma belíssima história de construção nacional e internacional. Como são formidáveis!

Logo em 1846 se preocuparam em tomar para si o estado do Texas, contrariando bastante seus donos mexicanos. Não importa. Os mexicanos nem sempre estavam lá e eram pessoas muito más.

Em 1893 eles – EUA – anexaram também o Havaí ao seu território. Que felicidade para os havaianos, pois se juntaram aos bons. Não era nem necessário perguntar. E em 1898 foi a vez de Porto Rico ser um estado associado. Que bom também. Quão felizes devem ter ficado!

Em 1901 ocuparam o Panamá e, para ajudá-lo na administração do respectivo canal, por ali ficaram até 1999. Deixaram muita saudade. Aliás, sobre o Panamá, Nicarágua e Honduras nem dá para falar de quantas vezes foram castigados por escolherem governantes ruins. Seriam muitas páginas, mas tudo foi corrigido. Eles não aprendem!

Recentemente, em 2009, Honduras recebeu um bom governante escolhido pelos EUA, já que aquele povo não soube - mais uma vez - escolher. Como estão felizes! E os bondosos EUA também interviram no Vietnã, no Camboja e no Laos, sempre protegendo aquelas populações contra pessoas muito más. Obrigado, Nixon!

Com igual preocupação os EUA apoiaram todas as ditaduras militares na América latina nas décadas de sessenta e setenta. Afinal, o povo latino-americano não sabia mesmo escolher seus devidos líderes. Bons ditadores mesmo. Eternamente gratos!

Em 2001, os EUA invadiram o Afeganistão, e 2003, o Iraque. Claro, tais países maus estavam envolvidos na queda das torres gêmeas. Havia grande quantidade de provas, inclusive sobre a ação de Bin Laden e a existência de armas de destruição em massa no Iraque. Tudo foi devidamente não aprovado pela ONU, mas não importa. O que importa é que, tanto o Afeganistão quanto o Iraque recuperam a democracia, a paz e vivem hoje em completa harmonia. Obrigado, Cheney e  Rumsfeld!

Também tem os casos da Palestina (desobedientes e ingratos), da Líbia, da Síria. Povos muito ruins, mas estão recebendo o que merecem dos EUA e, certamente, eles vão levar democracia e a paz até lá.

Recentemente, houve o caso do Paraguai (2009) e, mais uma vez, a escolha daquele povo foi errada. Não aprendem mesmo! Foi necessário que os EUA se encarregassem de corrigir os erros deles outra vez. Sinceros agradecimentos à prestativa embaixadora americana Liliana Ayalde.

No Brasil também ocorreu um pequeno problema em 2014, mas os EUA (sempre atentos e escutando tudo) nos ajudaram prontamente e o tal problema foi facilmente resolvido em 2016. Obrigado novamente, Liliana Ayalde (!), pois que os bondosos EUA ainda nos ajudaram a escolher o governo em 2018 e estamos todos muito, muito felizes com a escolha.

Nos dias atuais está ocorrendo outro problema na Venezuela, aquele país que tem as maiores reservas de petróleo do mundo. Mas eles não aprendem mesmo! Já foram invadidos em 1947 como castigo por terem aumentado o preço do petróleo. Que absurdo! Na época foi necessário os EUA escolherem outro líder para substituir Rômulo Gallegos, eis que ele não deveria ter sido eleito. Muito rebelde aquele povo!

Mas não há que suscitarem preocupações. Os EUA vão ajudar novamente aquele povo bolivariano – Simon Bolívar era muito mal - ingrato cheio de petróleo. Vão substituir o malvado Nicolas Maduro e até ajudá-los na difícil administração do petróleo. Inclusive já escolheram outro presidente para eles. Acho que se chama John, ou melhor, Juan Guaidó e, segundo dizem, fala inglês muito bem. Que bom!

(*) Dedicado a José Mujica Cordano

 

 

Comentários
×