Voos da Azul em Divinópolis correm risco de suspensão

 

Jorge Guimarães

 Em débito junto a Socicam, empresa que administra o Aeroporto Brigadeiro Cabral, no valor de R$ 2.664.000,00, a Prefeitura de Divinópolis tenta, mais uma vez, um acordo para que os voos comerciais realizados pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras não sejam suspensos.

Mesmo depois de receber melhorias, o aeroporto pode estar prestes a perder os voos comerciais que ligam a cidade ao Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP).

 Reunião 

O último capítulo aconteceu ontem, quando o prefeito Galileu Machado (MDB) se reuniu com representantes do setor de aviação. No encontro, o prefeito apresentou as dificuldades na manutenção do funcionamento do Aeroporto Brigadeiro Cabral.

– Recebemos essa dívida da administração passada e, desde estão, estamos rolando a mesma. O custo mensal para a Prefeitura é R$ 168 mil e, diante das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Município, não temos como arcar com esse valor – destaca o prefeito.

 Dívida

A dívida acumulada no período é de R$ 2.664.000. Assim, a Prefeitura ainda tenta um acordo com a empresa responsável pela manutenção do aeroporto para a continuidade das atividades. Porém, caso não se viabilize, os voos comerciais podem ser suspensos.

 Hangares 

Presente também na reunião, o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Alonso, destacou a importância da regularização do pagamento das taxas de permissão de uso dos hangares.

– O município tem R$ 1,4 milhão em crédito para receber desses permissionários. A quitação dessa dívida seria fundamental para amenizar essa situação – salientou o secretário.

 Taxas irrisórias 

A Secretaria da Fazenda apresentou um estudo sobre as taxas cobradas junto aos permissionários. A proposta é de um reajuste no valor do aluguel dos hangares. Hoje, o valor cobrado é de R$ 5,37 o metro quadrado, uma das menores taxas cobradas no Estado. O Município busca também parcerias com os proprietários de aeronaves para minimizar os custos de funcionamento do aeroporto, dentro das possibilidades legais do setor de aviação.

 Socicam 

A reportagem entrou em contato com a Socicam para saber a posição da empresa sobre o assunto, porém não obteve retorno até o fechamento desta matéria, às 17h30.

 

Comentários
×