Vladimir Azevedo se pronuncia sobre dívida e situação aeroporto

 

Da Redação

 O ex-prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) emitiu nota ontem em que faz declarações a respeito da situação do aeroporto Brigadeiro Cabral. O tucano reconhece ter deixado uma dívida de R$ 700 mil junto à Socicam, empresa que administra o local e ameaça parar as atividades por não receber da Prefeitura. Com isso, a Azul suspendeu os voos até que o impasse seja resolvido.

Vladimir atribui a dívida deixada pela sua gestão à falta de pagamento pelos locatários dos hangares, dentre outros fatores. Porém, salienta o prazo de 15 meses que a atual gestão municipal teve para regularizar o débito. Hoje o valor já chega a R$ 2,6 milhões.

Vladimir afirma que os voos operados pela Azul são resultado de investimentos iniciados em 2010.

– Esses investimentos, possibilitaram o ingresso de Divinópolis na disputa com mais três cidades do estado, sendo a cidade que ofereceu melhor logística e condições operacionais. No total foram investidos R$ 15 milhões para adequar o terminal – declara o tucano.

O ex-prefeito cita obras e melhorias feitas no aeroporto e destaca que a contratação da Socicam foi feita por meio de licitação.

– Os pagamentos à Socicam estavam sendo realizados com certo atraso, é verdade. Encerramos o ano de 2016 com uma dívida em torno de R$ 700 mil devido ao não pagamento das áreas dos hangares, falta de repasses em taxas de embarques e movimentação de aeronaves. Porém, o déficit estava sendo equalizado com o reajuste dos valores de uso de área dos hangares (antes era mais barato o metro quadrado de um hangar do que o metro quadrado de um estacionamento para um veículo no centro da cidade). E processos licitatórios de exploração de áreas comerciais como lanchonetes, estacionamentos, quiosques, propagandas e outdoor e etc. Processos que estavam em andamento. Porém, não houve tempo hábil para a efetivação de todas as demandas — diz o ex-prefeito.

Vladimir garante ainda que quanto aos permissionários inadimplentes, foram instaurados processos para a devolução de hangares. Alguns, segundo o tucano, chegaram a ser devolvidos.

Futuro 

O ex-prefeito assegura ainda que, ao encerrar seu segundo mandato, por entender que o aeroporto é “indispensável para os desenvolvimentos local e regional”, trabalhou para que a Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) incluísse Divinópolis no programa de expansão de aeroportos regionais.

– Expansões como o novo terminal de passageiros com 2,5 mil metros quadrados (o atual possui 450), nova seção contra incêndio e mais 270 metros de expansão da atual pista, aumentando a capacidade operacional do nosso aeroporto e já pleiteando que Divinópolis fosse considerado “alternado” do aeroporto da Pampulha. Projetos prontos, aprovados e empresas licitadas para o início das obras. Que aguardamos ainda — finaliza.

Viagem a Brasília 

A Prefeitura de Divinópolis tenta, mais uma vez, um acordo para que os voos comerciais realizados pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras voltem a serem operados no Brigadeiro Cabral. Para amanhã está prevista para uma tomada de decisão.

Para tanto o prefeito Galileu Machado (MDB) e o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias, viajam hoje a Brasília, onde têm encontros agendados nos ministérios da Saúde e Turismo. Para amanhã está agendada uma reunião com o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Antônio Claret de Oliveira.   

 

Comentários
×