Vírus da gripe também pode ser avassalador

Há 11 anos, o mundo enfrentou uma pandemia; especialista alerta para importância da vacinação

Da Redação

Em meio a uma crise de saúde pública, na qual a cidade, o estado e o mundo vivenciam a pandemia do novo coronavírus, a principal preocupação é com a prevenção da Covid-19, no entanto, especialistas alertam para a importância da prevenção da Gripe A, proveniente do vírus Influenza H1N1.

Segundo o infectologista Pedro Vilaça, além de imunizar, a vacina contra a gripe é importante neste momento de pandemia, para que seja possível fazer um diagnóstico diferenciado.

— Neste caso é importante para que você possa excluir o quadro gripal, tendo o paciente tomado a vacina de gripe. Assim, é levantada a hipótese de coronavírus, por isso é fundamental a vacinação neste período — explicou.

O mês de abril é oficialmente o mês de lançamento da campanha de vacinação contra a H1N1, no entanto, neste ano, a campanha foi antecipada no Brasil, devido à pandemia do novo coronavírus. 

Pandemia 

No mesmo mês de 2009, ou seja, 11 anos atrás, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarava a pandemia de gripe causada pelo vírus Influenza H1N1, responsável pela Gripe A. Nesta ocasião, a OMS declarou a doença como uma “Emergência de Saúde Pública Internacional”. A pandemia pela doença durou 16 meses, tendo sido declarada como encerrada em meados de agosto de 2010.

Semelhante ao novo coronavírus, a gripe H1N1 provocou um surto global, cujos primeiros casos ocorreram no México. Ao chegar ao  Brasil, a gripe registrou 20 casos da doença nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. A primeira morte aconteceu no Rio Grande do Sul.

Desde então, segundo especialistas, a vacina é a única maneira de garantir que a doença não volte a circular no país. 

Importância da vacina

Segundo especialistas, a gripe H1N1 é transmitida pelo contato com gotículas respiratórias ou objetos infectados. A imunização tende a reduzir com o decorrer dos meses, por isso, é fundamental que haja o reforço anual.

Integram o público alvo os profissionais da saúde, crianças de seis meses a cinco anos de idade, grávidas a partir de 12 semanas, mulheres com até 45 dias de pós-parto, idosos, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população indígena e pessoas privadas de liberdade. 

Por atuar diretamente com pacientes contaminados, os profissionais de saúde estão suscetíveis a contrair a doença, por isso, junto com os idosos fazem parte do primeiro grupo de risco que já está sendo imunizado em Divinópolis e em todo o Brasil.

 Sintomas 

Os sintomas da doença, segundo o infectologista, são semelhantes aos da gripe comum, que é o aparecimento repentino de febre, tosse dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações irritação nos olhos e nariz.

— Em todos os casos de gripe e coronavírus são essenciais as medidas de prevenção. Como agora no caso da Covid-19, ninguém tem imunidade quanto ao vírus e a quantidade de pessoas que pode evoluir para quadros graves é grande — finalizou o infectologista.

Comentários
×