Vidraças

Bob Clementino 

Chegou a campanha eleitoral para prefeito de Divinópolis. Com ela, as críticas ou elogios aos pré-candidatos. O ex-deputado Jaiminho Martins, por ter aparecido em uma pesquisa eleitoral em primeiro lugar na aprovação do eleitor, foi muito cobrado nas redes sociais. Um internauta, por exemplo, postou uma foto dele e perguntou:  “Quantas empresas Jaiminho trouxe para Divinópolis em 30 anos de mandato?”. Outros afirmaram decepcionados: “Não trouxe nenhuma empresa e ainda fechou a siderurgia da família”.

Ou vai ou racha!

Para os ex-deputados Jaiminho Martins e Fabiano Tolentino, agora pré-candidatos a prefeito de Divinópolis, esta eleição de 2020 poderá ser o divisor de água quanto às suas pretensões políticas: ou se elegem e voltam ao poder, ou vão ficar a ver navios.

Jaiminho

Desde as eleições de 2014, os eleitores divinopolitanos vêm demonstrando que estão desiludidos politicamente com Jaiminho Martins. As evidências: na eleição de 2010, o deputado Jaiminho obteve em Divinópolis 47.106 votos; em 2014, sua votação caiu para 31.678, com a significativa perda de 15.428 votos. Sinal de desilusão política. Fabiano Tolentino também recebeu um aviso de seus eleitores, que não o elegeram deputado federal em 2018. Ele obteve aqui em Divinópolis 18.284 votos. Nessa eleição, 56.837 eleitores, preferiram anular seus votos a votarem em um candidato a deputado federal, dentre os quais estava o candidato Fabiano Tolentino.

Cleitinho: obras alheias?

O deputado Cleitinho Azevedo (CDN), por três vezes, foi acusado de tentar assenhorear de obras de outros políticos. Vejamos:

em relação às verbas do PAC, na segunda–feira, 27 de julho, o deputado Domingos Sávio (PSDB) foi com o prefeito Galileu Machado (MDB) a Brasília, oficializar com o Ministério do Desenvolvimento Regional a verba para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, que trará benefícios aos bairros Grajaú, São Simão, Terra Azul e Costa Azul. Por um esforço político do deputado tucano, já está licitado e agora poderá ser executado. O deputado Cleitinho chegou a declarar:  “Mais um trabalho resolvido, venho lutando, reivindicando, cobrando e indo atrás de soluções para trazer dignidade pra os bairros da minha cidade”, afirmou.  Discurso bonito, mas o mérito pela conquista da obra é de Domingos Sávio.

Encabeçamento da pont

Outra tentativa do deputado de se assenhorar de uma obra deu-se quando o prefeito Galileu Machado conseguiu, com o secretário da Setop e DER, o encabeçamento do viaduto do Complexo da Ferradura. Cleitinho se deixou fotografar ao lado do secretário de Governo de Infraestrutura e do superintendente do Setop e anunciou a liberação da verba para obra, como se tivesse tido papel proeminente nas articulações.  Sagaz, o alcaide o desmentiu.  “Essa obra é da Prefeitura de Divinópolis”, foi taxativo o prefeito. “Tem gente falando aí que participou também de todo esse processo. Eu sei quem estava lá. Essa pessoa que falou que estava lá, que participou das negociações, só se estava atrás da porta, porque na mesa ele não estava”, confirmou. Segundo o Divinews, em 6 de outubro de 2019, o prefeito se referiu ao deputado Cleitinho Azevedo.

As varas cíveis

De acordo com a advogada Adriana Ferreira, Domingos Sávio e Manoel Brandão foram recebidos pelo presidente do TJMG, a quem não somente pediram para que a 4ª Vara permanecesse na Comarca, como também que a Vara da Infância e Juventude fosse apartada da de Execuções Penais. Essas questões foram resolvidas pelos dois, Domingos e Manoel, e inclusive tiveram a definição de competência para as causas de sucessão (inventário e partilha), deslocada das varas de Família para as cíveis, considerando que as quatro varas continuariam.  Satisfeito com êxito obtido, Manoel, presidente da OAB local, foi desfrutar as belezas da Tailândia.

Cleitinho se movimentou 

Ainda conforme a mesma fonte, Cleitinho pediu para ser recebido no TJMG, o que foi intermediado pela própria OAB, embora o assunto estivesse tratado. Como Manoel estava fora do Brasil, a entidade não indicou acompanhante. Assim, Cleitinho colocou um terno, foi ao TJMG, tirou foto com o presidente da Casa e depois falou que havia resolvido a questão das varas cíveis. No entanto, não somente o tema sobre as varas cíveis, mas também o remanejamento de especialidade e da Vara da Infância e Juventude já haviam sido definidos e solucionados por Domingos Sávio e Manoel Brandão.

Comentários
×