Vício em videogame passa a ser considerado distúrbio mental

Ana Laura Corrêa

O vício em jogos eletrônicos, comum entre muitas crianças e adolescentes em todo o mundo, poderá ser, em alguns casos, considerado um distúrbio mental. A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluirá o “distúrbio de games” na próxima edição da Classificação Internacional de Doenças (CID).

A versão beta da CID aponta que o vício pode ser considerado um distúrbio, por exemplo, quando o jogador perde o controle sobre a frequência, intensidade e duração do passatempo. Além disso, a atividade já pode ser enquadrada como distúrbio quando o game tem precedência sobre outros interesses da vida e tarefas diárias.

— O comportamento deve ser evidente durante um período de pelo menos 12 meses, normalmente, para que um diagnóstico seja atribuído, embora a duração requerida possa ser encurtada se todos os requisitos do diagnóstico forem atendidos e os sintomas forem graves — traz a publicação.

Medidas

Pesquisa feita pela Newzoo, uma das principais condutoras de levantamentos sobre a indústria dos jogos eletrônicos no mundo, mostrou que o Brasil é o 13º maior país em termos de faturamento do mercado de games.

De acordo com a psicóloga Marie Caroline Oliveira, especialista em saúde mental, o uso do aparelho eletrônico merece atenção.

— O videogame, quando usado excessivamente, se torna um sintoma que sinaliza outras dificuldades. Os pais precisam estar atentos para auxiliar os filhos no estabelecimento de uma relação que não seja prejudicial com a atividade. Caso os pais apresentem dificuldades em lidar com a situação, o indicado é a busca por um auxílio profissional — recomenda Marie.

CID

A CID é um sistema que lista e padroniza as principais doenças, distúrbios e problemas relacionados à saúde. A publicação traz ainda as causas e sintomas para orientar a ação dos profissionais da área na identificação e tratamento das enfermidades.

Atualmente, está em vigor a CID-10, aprovada em 1990. A nova edição da listagem, intitulada CID-11, deve ser publicada neste ano após a Assembleia Mundial de Saúde, prevista para acontecer em maio, na cidade de Genebra, na Suíça.

 

Comentários
×