Vereadores destacam nova direção da UPA

Levantamento estatístico mostra aumento no número de internações em hospitais da cidade e região

Matheus Augusto

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), desde o dia 30 de setembro, quando a Santa Casa de Formiga deixou a gestão, é administrada pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS). E, segundo os vereadores Janete Aparecida (PSD) e Eduardo Print Jr. (SD), a mudança já tem se mostrado positiva. Na reunião da Câmara de ontem, os dois apresentaram os números comparativos entre as duas gestões.

— A UPA, comparado o último mês da Santa Casa e o primeiro mês do IBDS, está com os seguintes números: antes, a permanência era de sete a oito dias, hoje é de um a dois dias; o número de altas se manteve praticamente o mesmo; as internações em hospitais antes era zero e passou para oito; as internações em outros hospitais, inclusive de outras cidades, levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), eram três e passaram para 63; a média de pacientes internados passou de 56 para 21 — detalhou Janete.

Eduardo Print ressaltou que o levantamento permite a comparação entre a antiga e atual administradora da unidade, visto que o número de atendimentos foi similar.

— No mês de setembro, a Santa Casa de Formiga atendeu 7.995 pessoas. No mês outubro, até a última segunda feira, a nova empresa tinha atendido 7.734 pacientes na UPA. Então o atendimento foi quase o mesmo — ressaltou.

Transferências

Janete ainda afirmou que as pessoas continuam sendo atendidas, apenas estão recebendo outros encaminhamentos mais rapidamente.

— Muita gente tem questionado por que uma diminuição tão grande, por que a UPA está vazia, mostrando corredores vazios, e [alegando] que [a atual gestora] estaria colocando pessoas para fora sem elas serem tratadas. Na verdade, o que está acontecendo é que a gestão tem conseguido internar as pessoas no lugar certo, em hospitais. Por isso houve essa diminuição — explicou.

A afirmação da vereadora foi reforçada pelo colega de Câmara. Segundo Print, a mudança está no tempo de encaminhamento dos pacientes da UPA para outras unidades.

— Eu quis trazer esses dados só para as pessoas entenderem que o atendimento não diminuiu porque os corredores estão vazios. Pelo contrário, diminuiu foi o tempo de espera, porque mais hospitais foram acoplados à urgência e emergência da UPA Padre Roberto com essa nova empresa gestora — concluiu.

O vereador ainda explicou que, com o IBDS, a unidade passou a exercer a função que deveria, como recomendado pelo Ministério Público, de oferecer atendimento de urgência.

— Não é que o povo parou de adoecer, eles pararam de ficar de forma desumana nos corredores da UPA. É isso que aconteceu. Porque a UPA é urgência e emergência — ressaltou.

Janete também afirmou que vai continuar acompanhando a situação da unidade.

— Continuarei acompanhando e, se em algum momento piorar, pode ter certeza que eu vou trazer os números aqui. Mas só vai melhorar se a gente tiver uma fiscalização assídua, e os trabalhos têm que funcionar nos Programas Saúde da Família (PSF’s) e nas unidades de saúde. E, apenas assim, vamos conseguir fazer esse serviço em rede com eficiência — finalizou.

Comentários
×