Vereador propõe CPI para investigar hospital São João de Deus

Israel da Farmácia quer mais transparência do Complexo de Saúde; projeto precisa de assinaturas de outros parlamentares para prosseguir na Câmara

Bruno Bueno

O hospital São João de Deus poderá ser investigado pelos vereadores da atual legislatura. Ao menos é o que indica o vereador Israel da Farmácia (PDT) que, durante seu pronunciamento na 34º Reunião Ordinária da Câmara Municipal dos vereadores, ocorrida na tarde desta quinta-feira, propôs uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com a proposta de investigar o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). Segundo o parlamentar, a justificativa do projeto é solicitar mais transparência do hospital na prestação de contas.

Polêmica

O pedido do vereador vem após a polêmica envolvendo o deputado federal Léo Motta (PSL), que cobrou o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) sobre uma emenda parlamentar de R$5 milhões que seria destinada ao hospital. À época, o Executivo alegou que o Complexo de Saúde não apresentou um plano de projeto para informar onde os recursos seriam aplicados. 

— Considerando que o Gestor deve estar convicto do correto manejo das emendas, ficou proposto pelo Município que a gestão do Hospital São João de Deus, tendo recebido a lista de demanda da Secretaria Municipal de Saúde, apresente um novo plano de utilização de recursos, disponibilizando uma maior contrapartida assistencial — disse a Prefeitura em nota divulgada.

Vale ressaltar que, no começo da semana, a diretoria do São João de Deus notificou o Ministério Público (MP) sobre um defícit mensal de R$900 mil que o hospital estaria devendo.

Reforçou

O parlamentar reforçou seu pedido, afirmando que só deseja uma prestação de contas do hospital, para esclarecer onde os recursos que são enviados para o Complexo estão sendo aplicados.

— O São João de Deus tem uma ótima gestora e um excepcional corpo clínico. Estão fazendo uma gestão transparente, eles vão tirar de letra, prestando conta a essa casa e a população de Divinópolis. O papel está na mesa do presidente e ficaria honrado, assim como todos os habitantes dessa cidade, com o apoio de vocês. Nós queremos transparência. O deputado Léo Motta pediu que nós tirássemos a bunda da cadeira e partimos para o trabalho. Nessa casa tem fiscalizador, iremos fiscalizar e mostrar a transparência de Divinópolis — disse.

Outros vereadores

A CPI precisa da assinatura dos outros vereadores para seguir na Câmara. Em outros pronunciamentos, parlamentares como Roger Viegas (Republicanos) e Eduardo Azevedo (PSC) demonstram um apoio informal ao projeto.

O Agora segue acompanhando os desdobramentos do caso e leva todos os detalhes para você.

Comentários
×