Vereador é alvo de tentativa de golpe em Divinópolis

 

Pollyanna Martins

 O vereador Rodrigo Kaboja (PSD) foi vítima de uma tentativa de estelionato, ontem. De acordo com o parlamentar, um homem foi até um depósito de material de construção no bairro Icaraí e tentou fazer uma compra em seu nome.

Segundo o funcionário do depósito de material de construção, o primeiro contato do estelionatário foi no último sábado. O funcionário, que pediu para não ser identificado, contou ainda que, em um primeiro momento, o homem enviou uma lista em nome do vereador e pediu que o material fosse entregue em uma fazenda. Ainda de acordo com o empregado, a compra ficou orçada em R$ 5,8 mil e, por causa do valor, foi solicitado que o pagamento fosse feito via transferência bancária.

O funcionário relatou também que a transferência bancária não foi feita e o estelionatário voltou a entrar em contato com a loja ontem pela manhã. De acordo com o empregado, o homem disse que havia feito um depósito no valor de R$ 14 mil e solicitou o reembolso de R$ 8,2 mil; diferença entre o valor orçado para a compra e o depositado. Segundo o funcionário, o criminoso chegou a pedir que ele conferisse a conta do estabelecimento e passou o número de um telefone, afirmando ser de um assessor do parlamentar.

– Eu adicionei o número na minha agenda, desse tal de João, assessor dele, e aparecia a foto do vereador – afirma.

Segundo o empregado, ele consultou também o extrato bancário da empresa e constatou o depósito no valor de R$ 14 mil, mas, desconfiado da ação, disse que só iria devolver o dinheiro após o depósito ser compensado. O empregado do estabelecimento contou ainda que, para confirmar a compra, entrou em contato com a assessoria do vereador, que negou. Kaboja foi informado sobre a situação durante a reunião ordinária e, logo depois do discurso de Josafá Anderson (PPS), solicitou ao presidente da Câmara, Adair Otaviano (MDB), para se ausentar e ir à Delegacia de Polícia registrar um Boletim de Ocorrência.

– Nós fizemos o Boletim de Ocorrência, e descobrimos que o pessoal é de Cuiabá – conta.

 Ocorrência 

De acordo com o vereador, toda a situação foi resolvida a tempo de o dono do estabelecimento não devolver o dinheiro para o estelionatário e, assim, não ter nenhum prejuízo.

– Felizmente, já foi descoberto, nós tomamos as providências cabíveis. Agora as medidas serão tomadas pelo delegado de polícia e, posteriormente, pelo Ministério Público – afirma.

O funcionário do estabelecimento contou ainda que entrou em contato com o banco e foi informado que o envelope do suposto depósito estava vazio, e a sua origem era de Cuiabá, no Mato Grosso.

 

Comentários
×