Vendas caem e comércio corta vagas de emprego

 

Pablo Santos

O comércio varejista registrou vendas negativas em abril.  Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Pesquisa Mensal de Comércio apontou declínio de 0,6%. Em abril foram cortadas em Divinópolis 85 oportunidades de emprego.

A perda de força do setor varejista no mês foi demonstrada pelos recuos em cinco das oito atividades. Puxaram essa queda o segmento de hipermercados, que caiu pela terceira vez seguida, e vestuário, com o segundo mês negativo.

Já a venda de artigos farmacêuticos, que vem de duas taxas positivas, caiu 0,7%, contribuindo para o mau desempenho do varejo. A mudança de direção do índice sofreu influência do reajuste dos medicamentos em abril.

O volume de vendas do comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, ficou estável em abril, após avançar 1,1% no mês anterior. As comercializações do setor de veículos ficaram próximas da estabilidade (0,2%), após avanço expressivo de 4,3% no mês anterior. Já o segmento de material de construção aumentou 1,4%, quarta taxa positiva consecutiva.

A gerente da pesquisa, Isabella Nunes, observa que as variações no comportamento do comércio em 2019 deixam o varejo ainda no patamar de dezembro do ano passado. 

— De janeiro a abril não acumulou nada. É como se o ano de 2019 não tivesse dado nenhuma contribuição para a recuperação da trajetória de queda iniciada em 2014 — avalia.

Emprego

Com vendas em queda, o emprego também recuou em abril. De acordo com os dados do Ministério da Economia, foram encerradas 85 oportunidades em abril em Divinópolis. No primeiro quadrimestre, o setor na cidade fechou 315 vagas no comércio local.

Em Minas Gerais, o comércio também cortou oportunidades. Foram 12.453 vagas encerradas no estado nos primeiros quatro meses. Já no Brasil, já são 76 mil, de acordo com o Ministério da Economia.

 

Comentários
×