Venda no comércio segue em ritmo de retomada

Pelo menos até ontem, quando a Justiça mandou fechar; setor de bares e restaurantes é um dos mais sacrificados

Da Redação 

Depois de um feriado prolongado, o comércio em Divinópolis voltou a funcionar, na última semana, considerando o Decreto 14.298/21, que mantém a cidade, na onda roxa, do plano Minas Consciente, do Governo de Minas Gerais. E, seguindo estas normas, o empresariado vem lutando para sobreviver à pandemia, se virando em várias táticas para atrair o consumidor. Os donos de bares e restaurantes estão entre os mais prejudicados com o abre e fecha. 

Estratégias 

Como está difícil alavancar as vendas, o jeito é apostar em formas de conquistar o cliente e também em datas comemorativas.  É o que diz o colaborador de uma loja de produtos esportivos, Fabrício Costa.

— Estamos trabalhando atentos às novidades do mercado, pois a situação não está fácil para ninguém. Com a limitação de um cliente, por vez, estamos agindo mais é nas redes sociais e, para manter um diferencial, estamos trabalhando com entrega em domicílio. Mas já estamos montando ações para as próximas datas comemorativas como Dia das Mães e dos Namorados – disse.

Um dos setores bastante afetados é o de prestação de serviços. Pois o abre e fecha do comércio coloca o empresário com dúvidas em novos investimentos e contratações.

— Antes de tudo isso começar, estava em meus planos uma ampliação de espaço. Porém, com a atual situação tive que cancelar a ideia, pois para mim, a instabilidade do comércio não nos deixa essa possibilidade de investimentos nessa época — detalhou o empresário do ramo de alimentação, Rolando Meneses.  

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), Gilson Teodoro Amaral, as entidades de classe têm lutado muito junto aos seus filiados para que tudo corra dentro da maior tranquilidade possível.

— O Sincomércio e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) acabaram de firma uma proposta de Convenção Coletiva de Trabalho Emergencial, junto ao Sindicato dos Empregados do Comércio Varejista e Atacadista de Divinópolis e Região (Sindcomerciários), solicitando autorização para concessão de férias com dispensa de aviso, possibilidade de redução de jornada e ou compensação desta. O que pode de certa forma, auxiliar os empresários em caso de novos fechamentos do comércio. Mas, os estabelecimentos comerciais em si, vão aos poucos se recuperando — revelou Gilson.  

Isso, pelo menos até ontem, quando esta reportagem foi feita, o comércio funcionava de acordo com decreto municipal, porém, a justiça determinou o fechamento conforme prevê a onda roxa do Minas Consciente. O Município acatou e regra está em vigor a partir de hoje.

Colapso 

O setor da alimentação fora do lar é outro que está à beira de um colapso econômico. Há mais de um ano, os proprietários vêm se esforçando para manter seu negócio aberto e o quadro de funcionários completo, mas já não está mais conseguindo. 

— A luz do fim do túnel está cada vez mais longe, a ajuda do governo federal é a única esperança para manter os empregos em dia. O mais preocupante é que a falta de dinheiro em caixa vem desde dezembro. Tivemos o nosso setor fechado no mês,  que temos grandes despesas como o pagamento do 13°, que ficou comprometido pelo baixo faturamento. Iniciamos o ano com dívidas e impostos atrasados, mal estamos conseguindo sobreviver até este momento, a falta de um caixa saudável e sem crédito com os bancos compromete o salário do mês de abril em todo setor — avalia o presidente da  Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) União Oeste, Danilo Pereira.  

Delivery 

Uma das saídas para os empresários do setor foi a prática do delivery, que muitos ainda não tinha realizado em outras épocas, o que fez com que a turma se reinventasse.  

— O delivery ajuda, mas a conta não fecha. A despesa é alta, muitos tem o Pronampe ou outro financiamento para arcar que foi solicitado para superar o início da pandemia. Nosso setor apela por ajuda, não podemos enterrar mais nenhum bar e restaurante — finaliza  Danilo Pereira.

Comentários
×