Varejo já ganha a cara do Natal

 

Jorge Guimarães

Faltando pouco mais que dois meses para o Natal, considerada a data mais importante para o comércio, os empresários estão mais otimistas com o atual cenário da economia. A inflação sobre controle, taxas de juros em queda, diminuição do desemprego e o adicional do 13º salário são pontos já focados estrategicamente pelos comerciantes. Assim, lojas de redes de supermercados já ganham ares das festas de final de ano, já mudando o mix para atender aos consumidores com alimentos artigos natalinos. Como os preços ainda estão acessíveis, alguns clientes apostam na compra antecipada para economizar.

A comerciária Sandra Queiroz diz que está bastante desanimada com os preços dos produtos este ano, porém, não deixa de fazer planos quando o assunto é Natal.

 — Vou economizar o que eu puder — conta.

Para ela, é preciso estar atenta às práticas dos supermercados para gastar menos.

— Os preços ficam mais acessíveis só enquanto a data está distante. Os preços são elevados em dezembro, o consumidor tem que ser esperto e comprar logo — diz Sandra.

Ela destaca também outro benefício, além da economia, que é a comodidade de ir aos estabelecimentos mais vazios e não precisar enfrentar as grandes filas que se formam às vésperas das datas comemorativas.

— A maioria das pessoas deixa para fazer suas compras na última hora. Então, estocar pode ser uma saída para evitar tumulto — completa.

Preços

Comprar antecipado sempre será uma boa poção, mas mesmo assim a pesquisa de preços não deve ser deixada de lado, segundo especialistas. Ontem, em uma loja de rede de supermercados, os panetones já ganhavam visibilidade de destaque pelos corredores. Os preços variavam entre R$ 6,99 a R$ 29,90, conforme a marca e o recheio. Já as nozes eram comercializadas a R$ 14,90 e a castanha a R$ 15,90.

— Sempre compro antecipado, pois é mais cômodo. Menos, é claro, as frutas que não tem como armazená-las. Os preços são sempre mais baixos e as opções maiores — avalia o operador de máquina pesada Ozires Alves.

A linha de frios como peru, chester, tender e aves deve chegar aos pontos de vendas a partir da segunda quinzena do próximo mês.

— A parte de aves e frios começa a chegar em meados de novembro e os preços devem se equiparar aos do ano passado. Estamos otimistas, quanto às vendas e esperamos faturar em torno de 5% a mais em relação ao mesmo período do ano passado — analisou o gerente de outra loja de rede de supermercados, Antônio Carlos Gomes.  

Caseiro

O panetone é tradicional da época de Natal, de origem milanesa, do norte da Itália. E nesta época do ano é uma boa oportunidade para muitos adquirirem uma renda extra no fim de ano.

Com preços mais em conta, muitos consumidores preferem adquirir o produto de fabricação e venda caseira.  A dona de casa Andréia Teixeira, adora panetone. Ela ainda afirma que prefere os caseiros por achar mais saborosos.

— Os industrializados são secos e esfarelam quando a gente come. Eu amo panetone, mas  prefiro os caseiros por achar mais molhadinhos — conta.

 

 

Comentários
×