Vacinas não são suficientes para imunizar público-alvo, comprovam números

Parcela de idosos de Divinópolis não está cadastrada no SIS

Da Redação

Divinópolis recebeu nessa terça-feira, 2, mais 2.260 doses da vacina Astrazeneca, que será destinada para a imunização dos idosos de 85 a 87 anos. Conforme apurado pelo Agora, as doses não são suficientes para imunizar o público-alvo. Segundo a Prefeitura de Divinópolis, estão cadastrados no Sistema de Informação da Saúde (SIS), 1.267 idosos na faixa etária priorizada pelo Município nesta fase da vacinação, porém, o número é maior, pois muitos não estão cadastrados em suas Unidades Básicas de Saúde, por terem plano de saúde, ou fazerem seus atendimentos médicos na rede privada.

A Prefeitura divulgou nesta terça, o cronograma de vacinação, e segundo o Município, a imunização será feita nas unidades de saúde do Município. Para isso, os idosos deverão procurar as unidades de saúde que já são cadastrados, pois, cada UBS recebe uma quantidade de doses equivalente ao número de idosos cadastrados. Para a vacinação, o idoso deve levar um documento de identidade com foto e a carteira do SUS ou da unidade de saúde.

Já os idosos que fazem parte do grupo prioritário, mas não têm o cadastro na unidade de saúde, deve primeiro fazer este registro. Eles devem procurar a UBS mais próxima de sua residência para realizar o cadastro, portanto documento de identidade com foto, CPF, cartão SUS (caso não tenha, será feito e impresso na unidade) e comprovante de endereço. Após o registro, que é feito na hora, a vacina já será liberada.

Ainda de acordo com o Executivo, no caso dos idosos acamados, de 85 a 87 anos, eles serão vacinados mediante agendamento. Os idosos acamados, que não são cadastrados em uma Unidade de Saúde, um familiar fazer o registro para solicitar a vacinação.

Governo do Estado

O Governo do Estado revela que a meta nesta etapa da campanha é vacinar todos os idosos entre 85 e 89 anos, e imunizar 24% dos que têm entre 80 e 84 anos.
— Vacinar essa população é importante porque são pessoas com maior risco de agravamento pela doença, necessitando de assistência hospitalar, o que aumenta nossa ocupação de leitos por covid-19. Ao vacinar esse grupo, teremos uma redução do agravamento da doença entre idosos e uma diminuição dos números de internados por covid-19 — explica a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES-MG, Janaína Passos.

Comentários
×