Vacinar alunos

 

O vereador Renato Ferreira (PSDB) criou o Projeto de Lei que institui o Programa “Vacina na Escola” para os alunos da educação infantil e do ensino fundamental das escolas municipais. O edil justifica desta maneira a elaboração da lei: “no Brasil, está cada vez mais comum o compartilhamento de informações falsas sobre a vacinação. Tais informações desencorajam os pais a vacinarem seus filhos, alegando que as vacinas são prejudiciais às crianças. Infelizmente, isso vem fazendo com que muitas famílias deixem de vacinar seus filhos, o que pode ocasionar a propagação de doenças." diz Assim, é cada vez mais importante que as pessoas sejam orientadas e não há espaço mais adequado para que isso ocorra do que o ambiente escolar. O presente projeto, por essa razão, cria o Programa “Vacina na Escola”, que levará os profissionais de saúde às escolas, a fim de que as crianças sejam vacinadas (com a autorização dos pais) em um ambiente que já lhes é familiar.

 O que se espera de Cleitinho

 Talvez, a melhor análise da estratégia do eleito deputado estadual, Cleitinho Azevedo (PPS), seja esta da colunista do jornal Agora, Adriana Ferreira. “Cleitinho fala a língua dos telespectadores de um jeito novo, falar mal dos políticos como se não fosse um”.   Mas sua iniciativa de buscar uma vaga na Assembleia Legislativa foi correta. Quando percebeu as limitações do mandato de vereador, partiu para se eleger deputado estadual. Agora, Cleitinho tem verba e poder para cumprir o que não conseguiu cumprir no mandato de vereador:

 Leiam algumas: 

- Despoluir a Lagoa da Sidil

- Compra de um papa-aguapés para tirar as plantas do rio Itapecerica (ele colocou seu irmão no rio em uma canoa para tirar aguapés com as mãos)

- Compra de um Castramóvel: veículo para fazer castrações de cães e gatos.

- Política para atrair interesse de empresas por Divinópolis, objetivando geração de empregos e renda.

- Trazer verbas estaduais para melhorar a infraestrutura urbana dos bairros Costa Azul, Terra Azul, Jardinópolis, Nova Fortaleza, Copacabana, Alto das Oliveira e outros bairros carentes, que cita sempre no plenário da Câmara Municipal

- Propor a redução salarial dos deputados (já que não conseguiu cumprir a promessas de reduzir salários dos vereadores de Divinópolis)

- Doação de 50% do salário mensalmente para a instituição de caridade (promessa de campanha de vereador) nominando a instituição carente que receberá as doações.

 Remuneração de um deputado estadual 

O valor da remuneração de um deputado da ALMG corresponde a 75% do recebido pelo deputado da Câmara Federal. O valor bruto do salário de um deputado hoje é de R$ 25.322, 25, mas os deputados também têm direito a receber um auxílio-moradia, fixado em R$ 4.377,73. E, para exercer o mandato, os parlamentares ainda podem gastar, por mês, até R$ 27 mil. Estes valores serão reajustados em 2019.

 Do jeito que está não pode ficar 

Tenho alertado os vereadores e cidadãos sobre o caos financeiro e administrativo que perdura na Prefeitura de Divinópolis. Para superar a crise, a primeira saída é aceitarmos (contribuintes) a revisão da planta de valores do IPTU, que está há 25 anos sem revisão

 Outra solução para a crise 

Como obrigar o governo Pimentel a liberar os R$ 105 milhões a que a Prefeitura tem direito e que estão presos nos cofres do Estado?  Em tese, o Município terá que judicializar a dívida, para evitar qualquer tipo de prescrição. Contudo, nas questões das "verbas federais (Saúde, Educação, etc.”) o mais interessante, será o Município de forma individual, ou por meio da Associação Mineira de Municípios (AMM), tentar uma acordo junto à Advocacia Geral da União (AGU), com a participação do Ministério Público Federal (MPF), para que a União faça o repasse diretamente para o Município, não enviando para o Tesouro Estadual. Esta é a solução mais inteligente. Se não for possível este acordo, o Município tem que tentar uma medida liminar para compelir a União fazer os repasses diretamente ao Município. Quanto às verbas de origem do Estado, a Prefeitura também tem que judicializar, mas demora muitos anos para receber. Quanto às verbas não repassadas, acho muito difícil o Município receber em curto prazo.

Comentários
×