Vacinação contra a gripe começa amanhã

Da Redação

A 23ª Campanha Nacional de Vacinação começa amanhã, 12, em todo Brasil. A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informou que em Divinópolis, a campanha será realizada nas 37 unidades básicas de saúde e nos hospitais, com horários estratégicos para evitar aglomeração e manter o distanciamento social, reduzindo-se assim os riscos para a contaminação por Covid-19.

 Nesta primeira fase, que vai de 12 de abril a 10 de maio serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de seis anos de idade, gestantes, puérperas e povos indígenas. A meta é vacinar pelo menos 90% dos grupos elegíveis.

A vacinação contra a Influenza será realizada nas unidades básicas nos seguintes horários e grupos prioritários: 

Unidades da Saúde da Família (ESF)

8h às 9h – Atendimento exclusivo para gestantes e puérperas.

9h15 às 13h – Atendimento exclusivo para crianças.

13h30 às 14h15 – Atendimento exclusivo a gestantes e puérperas.

14h30 às 16h30 – Atendimento exclusivo para trabalhadores de saúde.

 Centros de Saúde

8h às 9h – Atendimento exclusivo para gestantes e puérperas.

9h15 às 13h – Atendimento exclusivo para crianças.

13h30 às 14h15 – Atendimento exclusivo para gestantes e puérperas.

14h30 às 17h – Atendimento exclusivo para trabalhadores de saúde. 

Público Alvo

A Campanha será realizada até o dia 9 de julho, e após a primeira fase que tem como público alvo crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas, serão vacinados trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos e mais, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

 

Comentários
×