UPA fica de fora e não recebe medicamentos para covid

Em Divinópolis, apenas o Complexo de Saúde São João de Deus é contemplado com itens que compõem kits intubação

Da Redação

Municípios mineiros vão receber nos próximos dias, medicamentos para compor os kits intubação utilizados na rede hospitalar no tratamento à covid-19. Pelo menos 79 hospitais que se encontram com níveis de disponibilidade dos medicamentos considerados críticos podem retirar insumos essenciais para a sedação dos pacientes em tratamento no almoxarifado da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)

Os itens adquiridos pelo Governo de Minas são suficientes para cobertura de três dias. Estão disponíveis 74.250 unidades do remédio diazepam.

Além de Divinópolis, onde os itens contemplarão apenas o Complexo de Saúde São João de Deus, um total de 2.900, Formiga, Nova Serrana, Samonte, Lagoa da Prata, Pará de Minas, Dores do Indaiá e Itaúna, também recebem. Cada um dos municípios, uma quantidade diferente.

Macros

Conforme a SES-MG todas as 14 macrorregiões do estado irão receber os insumos em 70 cidades. Na macro Centro serão 14 hospitais; na Sul, 13; na Norte e Oeste, oito; na Centro-Sul, seis; na Sudeste, cinco; nas macros Noroeste, Triângulo do Norte e Triângulo do Sul, quatro; Leste, Leste do Sul e Nordeste, três; e nas macros Jequitinhonha e Vale do Aço, duas unidades hospitalares.

 

Monitoramento

 

A Secretaria diz ainda que, juntamente com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG), faz o levantamento periódico dos quantitativos dos prestadores e fornecedores de medicamentos e insumos das unidades hospitalares. Também, conforme a SES, é monitorado o abastecimento de fármacos nas redes públicas e privadas de assistência médico-hospitalar, que devem informar regularmente à Secretaria de Estado sobre estoques disponíveis de medicamentos e insumos.

Distribuição

O monitoramento é feito a partir da autodeclaração e preenchimento de formulário. Assim que cada remessa chega ao estado, o resultado do monitoramento semanal é analisado para distribuição aos hospitais em situação mais crítica e conforme disponibilidade do estoque. A sugestão de distribuição é validada junto a uma comissão da SES-MG e do Cosems-MG.

Comentários
×