Unidades Básicas de Saúde voltarão com atendimento em horário integral

Pollyanna Martins

A Prefeitura de Divinópolis determinou hoje, 26, o retorno do atendimento em horário integral nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s). A Portaria Nº 161/2021 foi publicada hoje, e de acordo com a norma os servidores que têm cargos cuja jornada de trabalho seja de oito horas diárias deverão cumprir a carga horária de forma integral, na modalidade presencial. Já os funcionários que a jornada de trabalho é inferior a oito horas diárias, os setores deverão organizar duas equipes, sendo uma com cumprimento da carga horária das 7h às 13h, e outra das 12h às 18h, em trabalho presencial.

Com o retorno do atendimento em horário integral, todos os públicos voltarão a ser atendidos nas UBS's. De acordo com o secretário municipal de saúde, Alan Rodrigo a medida de redução da carga horária nas Unidades de Saúde adotada no governo passado causou uma sobrecarga no sistema. Segundo o secretário, com a volta do atendimento à população em horário integral nas UBS’s deve resolver em torno de 70% dos problemas básicos de saúde.

— A população que não conseguia este acesso à atenção primária passa agora a ter este acesso de forma integral – ressalta.

Restrição

A Prefeitura adotou a restrição do atendimento nas Unidades Básicas de Saúde no dia 18 de dezembro de 2020. O Executivo determinou que fossem atendidos nas Unidades apenas pacientes pertencentes aos grupos de risco e atendimentos inadiáveis, com agenda programada, dando intervalo entre um procedimento e outro e livre demanda.

Continuaram a ser atendidos gestantes, puérperas, recém-nascidos, crianças menores de um ano, crianças portadoras de morbidade, hipertensos, diabéticos, renais crônicos, cardiopatas, idosos com comorbidades. Foram mantidos ainda os procedimentos de curativos, teste rápido de HIV, Hep C e B, Sífilis, teste rápido e PCR COVID-19, vacinas e síndrome gripal.

O Município alegou na época que a medida seria adotada devido à sobrecarga de trabalho decorrente do aumento de casos suspeitos de COVID-19. 

 

 

Comentários
×