Tudo novo de novo

O horário de verão existe em vários países e, na maioria deles é bem aceito. Aqui mesmo no Brasil, quando foi adicionado ao calendário de alguns estados, foi muito bem recebido, pois as tardes ficaram maiores para um bom happy hour. Com o tempo, a noite chegando mais tarde e o dia começando mais cedo, vieram as reclamações. Hoje, o horário de verão não é mais uma unanimidade, é aceito com restrições, principalmente depois que alguns médicos entenderam que ele realmente modifica o sistema nervoso das pessoas. Pode ser.

Com dinheiro

A Prefeitura de Divinópolis com a entrada de Galileu Machado parece estar nadando em dinheiro. A explicação é bastante simples: nomeou o dobro de “aspones” e agora abre concurso para mais 307 vagas. Seria muito bom para a cidade, pois afinal mais gente estaria conseguindo emprego e o dinheiro chegaria ao comércio em maior quantidade. Só que não é nada disso. Acena-se com a direita e tira com a esquerda. Faz-se média com a cidade, ilude milhares de pessoas que além de precisar de trabalhar, sonham em ganhar um bom dinheiro. A prefeitura está quebrando, a previdência municipal também, e não há como se pagar 307 salários a mais, que variam entre R$ 1.300 e R$ 8.200. Brincadeira de mau gosto. Ilusionismo político, que traduzido ao “politiquês” significa politicagem e demagogia.

Saúde e Educação

As duas áreas onde vagas estão previstas para serem preenchidas no ano que vem são as da Saúde e Educação. A primeira, todos sabemos está caindo aos pedaços, sem dinheiro, medicamentos e o estado devendo milhões de reais. Não há como melhorar nada por ali. Já a educação, há anos que Divinópolis vem tirando boas notas juntos aos órgãos que medem a sua “saúde”. Tem dinheiro carimbado, não há como mexer, embora a saúde também o tenha e ele não vem. Estes políticos estão cada vez mais malucos.

O nó da garganta

Os vereadores, mesmo usando um pouco de verborragia estão fazendo o trabalho certo. Existem setores da cidade que não estão satisfeitos com os serviços executados pela Copasa, e precisam de esclarecimentos. Alguns vereadores entendem, como o público em geral, que a água deve chegar em todas as torneiras ao mesmo tempo. Em uma cidade grande como Divinópolis, isto é impossível. A concessionária está prestando serviços por aqui há cerca de 40 anos, e simplesmente dizer que o serviço não é bom de um modo geral é não reconhecer que a maioria do povo está satisfeito.

E o que fazer?

Exatamente o que os vereadores estão fazendo, ou seja, usando de um instrumento justo e certo para apurar os detalhes de tudo que aconteceu desde os anos 70, quando o primeiro contrato foi firmado: uma CPI. Que o serviço é bom e que a água também é boa, isto é inegável, como também é verdade que vez por outra, por motivos que só a Companhia de Saneamento pode explicar, o precioso líquido vem faltando em alguns bairros. O uso de uma CPI para esclarecer, se não é um remédio, pode ser um aperto. É bom que os vereadores mostrem serviço, pois assim os novatos irão ver e aprender como foram realizados todos os contratos deste que o prefeito Antônio Martins Guimarães assinou o primeiro. Tudo certo e nada esquisito.

 

Comentários
×