Treinamento de PMs da região foca ataques a bancos

 

Gisele Souto

Para potencializar ainda mais o trabalho integrado que vem ocorrendo nas unidades que pertencem à 7ª Região da Polícia Militar (7ª RPM), começa amanhã o treinamento envolvendo 45 policiais militares dos 50 municípios que integram a região. A abertura do Treinamento sobre Procedimentos Operacionais em Ocorrências de Ataques a Agências Bancárias e Similares está marcada para as 7h45 na Faculdade Pitágoras.

Serão dois dias de intenso treinamento, começando parte teórica, que demandará toda a manhã de quinta-feira com a participação de cerca de 200 policiais; boa parte deles pertence à área administrativa do 23º BPM, da 7ª Companhia de Policiamento Especializado e da Pelotão de Trânsito e Meio Ambiente. Destes, os 45 vão focar na tarde de quinta e durante todo o dia de sexta-feira no treinamento teórico repressivo.

Quadrilhas

O alvo do treinamento prático são as ações repressivas, principalmente para enfrentar as quadrilhas especializadas em explosões a caixas eletrônicos, como a presa no último fim de semana. Serão treinadas ainda táticas voltadas para ocorrências na zona rural, tendo em vista que tem sido a área preferida para o refúgio dos grupos criminosos.

— Além disso, abordaremos também situações de confrontos em prédios e residências e em matas, onde muitos criminosos costumam entrar para se esconder — explica o assessor de Emprego Operacional, major João Romeu Mendonça.

O treinamento será coordenado por uma equipe especializada do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Armas

O comandante da 7ª Região, coronel Marcelo Augusto Santos, destaca a importância desta preparação e conta que ela já estava prevista antes da prisão do grupo criminoso de Divinópolis que explodia agências bancárias na região.

— Haverá ainda um treinamento teórico e prático com o emprego de armas pesadas, como fuzis, que serão distribuídas a todas as frações da PM da região — conta.

O comandante explica que, com essas medidas, as unidades da Polícia Militar da região terão melhores condições de dar uma resposta à altura em ocorrências complexas e perigosas, como a de sábado.

Presa

A quadrilha presa pela PM, no último sábado, contava com sete integrantes no momento da ação, mas a suspeita é de que pelo menos 20 pessoas façam parte do grupo criminoso. Com os que estão no presídio Floramar, foi encontrado um vasto material, como explosivos, armas de grosso calibre, carros usados nos crimes e coletes. As investigações continuam.

 

Comentários
×