Treinadores na corda bamba?

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br 

 

Não sei não. Mas se os resultados não acontecerem nas próximas rodadas, vai ter neguinho perdendo o emprego em Belo Horizonte. Difícil será às diretorias dos dois grandes clubes de Minas Gerais manter o discurso de apoio a seus treinadores. Tanto Mano Menezes quanto Roger Machado estão devendo e o ambiente nos CTs esta semana atestam bem essa verdade. Ou eles criam vergonha na cara ou vão receber um pontapé no traseiro bem antes do que imaginam. Simples assim. Razão as diretorias têm de sobra para mandá-los embora. 

Mais uma derrota na conta de Mano 

Impossível é a qualquer pessoa, seja entendido ou não de futebol, compreender o que estava pensando o técnico Mano Menezes na noite de quinta-feira, no duelo do time estrelado contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 9ª rodada do torneio nacional. Ao escalar um time totalmente reserva para enfrentar a Macaca, o treinador assumiu um risco que não poderia correr. 

Nem se o time estivesse na ponta da tabela, sobrando no campeonato, o técnico poderia abrir mão de seus principais jogadores. Em um torneio complicado como o Brasileirão, nenhum time pode se dar ao luxo de desprezar uma partida. Qualquer pontinho que se deixa de somar hoje, poderá fazer muita falta lá na frente. Abrir mão do resultado de um jogo é um risco que ninguém pode correr. 

Foi o que Mano Menezes fez na quinta-feira. Ao escalar um time de reservas totalmente sem conjunto em Campinas, ele simplesmente deixou claro que a vitória não importava a ele. Tem mais é que ser cobrado por isso. Não só pela diretoria, mas também pela torcida. Estamos conversados. Vê se cai na real, Mano! 

Roger entre a cruz e a espada 

Pior ainda é a situação do técnico Roger Machado, do Galo. A frente de um elenco milionário, tido e havido por muitos como um dos melhores do Brasil e um dos favoritos ao título, o Atlético vai de mal a pior. Não conseguiu engrenar no Campeonato Brasileiro e os pontos perdidos em seu estádio vão sim comprometer o final do torneio.  

Ninguém é maluco ao ponto de falar que está tudo perdido, porque tempo ainda há de sobra para uma recuperação, mas que anda feia a coisa para o lado do comandante, isso anda. O ambiente na Cidade do Galo nesta semana, depois de mais um tropeço em casa, dá bem a dimensão do que está por vir. 

Ou Roger coloca o time para jogar o seu melhor futebol – e isso é para ontem – ou vai “catar coquinho” bem antes do que imaginava. Nenhum diretor será capaz o suficiente para suportar a pressão da Massa e vai é mandá-lo embora sem dó e nem piedade. 

MANGUEIRAS BRASIL 

20 anos do recorde de público 

Um recorde impossível de ser batido, principalmente depois das reformas do Gigante da Pampulha, completou 20 anos na última quinta-feira. Foi no dia 22 de junho de 1977 que o Mineirão recebeu o maior público de sua história. Nada menos que 132.834 pessoas compareceram para assistir à final do Campeonato Mineiro entre Cruzeiro e Villa Nova, de Nova Lima. A Raposa venceu por 1 a 0, gol de Marcelo Ramos. 

Naquele ano, depois de o Cruzeiro empatar o jogo de ida no Alçapão do Bonfim, em Nova Lima, a diretoria celeste decidiu fazer uma promoção de ingressos para a decisão, permitindo que mulheres e crianças entrassem de graça na final. 

Deu no que deu. O Mineirão recebeu o maior público de sua história e milhares de torcedores ainda tiveram que voltar para casa, frustrados por não terem conseguido entrar. 

 

Vem aí a Copa Divinópolis de Base 

 Valorizar crianças e jovens deveria ser uma obrigação de todos. É isso que devemos cobrar, sempre. Dar oportunidades para que elas possam viver uma vida saudável é o primeiro passo para se construir uma sociedade melhor. 

A realização de atividades que envolvam as crianças é o primeiro passo para conseguirmos isso. Por isso, hoje eu quero me congratular com a Secretaria de Esportes da Prefeitura e com a Liga Municipal de Desportos de Divinópolis pela volta da Copa Divinópolis de Futebol de Base. 

O torneio terá a participação de oito equipes já confirmadas e vai começar no dia 5 de agosto. Serão dezenas de crianças que serão tiradas das ruas e terão oportunidade de fazer algo de que gostam: jogar futebol. 

Comentários