TransOeste: acabou o sufoco

 Toda vez que posso, uso o transporte coletivo urbano. Sempre me chamou a atenção que o espaço designado aos idosos era muito pequeno e desconfortável. Constato que também a Transoeste estava atenta à situação, pois criou agora o cartão de gratuidade para o idoso. Isso faz parte do processo de modernização do sistema de bilhetagem do Consórcio TransOeste e possibilitará a passagem dos idosos pela roleta, melhorando o fluxo de passageiros dentro do ônibus.  Os idosos não estão mais restritos ao pequeno espaço de outrora. Para isso, as pessoas desta faixa etária devem providenciar seu cartão gratuitamente, comparecendo à rua Nossa Senhora das Graças, 281 no bairro Manoel de segunda à sexta-feira, de 8h às 17h, até 7 de fevereiro de 2019, portando comprovante de endereço, RG, CTPS ou CNH em cópia

 Bom senso e elegância

 Umas da característica do vereador Marcos Vinicius (PROS) é se pautar pelo bom senso e elegância no seu discurso. Quase sempre, é a pessoa que equilibra e sintetiza os discursos dos demais vereadores. E foi com a costumeira elegância que meteu o dedo na ferida desta discussão sobre revisão da planta de valores do IPTU, ao perguntar: “a quem interessa esta planta de valores, absolutamente desatualizada?” e mais “A quem interessa a falta de revisão da planta genérica, ou a planta imobiliária de Divinópolis? Será que ao longo da história houve peculatos, houve prevaricação? Será que teria havido conivência criminosa que nos remeteu a esta situação, altamente prejudicial à cidade? Quer saber o edil?

 A quem interessa o caos

 O edil Marcos Vinicius perguntou: ainda, em seu discurso na reunião ordinária do dia 13 último por que Divinópolis, com todo seu potencial, está travada, estagnada há muito tempo. Disse ainda que o Governo Galileu Machado está refém de um sistema informativo que propaga inverdades, dificultando a aprovação da revisão da planta de valores do IPTU.  Segundo o vereador, o governo Galileu Machado não foi capaz de criar a ambiência necessária para aprovar uma atualização e uma revisão da planta genérica de valores, que é um imperativo legal. Com isso (minha opinião) adversários políticos continuam propagando inverdades sobre o que é de fato a revisão da planta de valores do IPTU e, isso, prejudica Divinópolis.

 Não há ambiente aprovar revisão do IPTU

 Como o governo perdeu a batalha da informação para os arautos do caos, em minha opinião, é impossível segundo Marcos Vinicius que se aprove na Casa Legislativa qualquer projeto que venha até trazer a justiça dita social.  E aqui assumo: não será possível porque opositores do governo preferem não aprovar a revisão da planta, mesmo sabendo que sem ela o governo não terá recursos para pagar salários em dia, atender às demandas da população e resolver a crise no sistema público de saúde municipal.

 Do jeito que está não passa

 Será difícil aprovar a revisão da planta de valores porque foram criadas mentiras em torno do tema, factoides, rastros de onças, que repassam para a população a ideia de que se quer aprovar o aumento do IPTU e não a revisão que corrige a inadequação dos valores ou até ausência desses. Há pessoas em Divinópolis cujo imóvel sequer foi lançado na Prefeitura. E há condomínios de luxos, mansões suntuosas pagando centavos de IPTU. São esclarecimentos que precisam ser repassados à população, antes que ela se deixe levar por falatório demagogo de que o objetivo é saturar o contribuinte com novos e inaplicáveis tributos ou que o povo não aguenta mais imposto.

 Medo dos rótulos

 Vereadores estão deixando de considerar aspectos realmente relevantes de interesse coletivo. Na prática, estão com medo de serem rotulados como edis que votaram injustificadamente a favor ao aumento do IPTU e contra o povo.  No entanto e na verdade, a revisão da planta do IPTU apenas corrige as desconformidades que se têm na cobrança do imposto, em que 52 mil imóveis pagam entre R$ 0,80 a R$ 50 de imposto. Além desses desacertos e inadequações, sem a revisão da planta de valores do IPTU, nem o prefeito atual nem os próximos conseguirão administrar.

Comentários
×