Batendo Bola

 

José Carlos de Oliveira

 jcqueroviver@hotmail.com.br

 Depois da porta arrombada, troca-se a fechadura. Certo? No Brasil do ‘jeitinho’ é assim mesmo que a banda toca. Em vez de prevenir as tragédias e evitar mortes, o brasileiro se especializou em ações pós-desastres, que, na maioria das vezes, são tomadas como forma de enganar a sociedade, e calar a boca de alguns críticos.

 Fato antigo

 Neste desastre que culminou com a morte de jovens jogadores da base do Flamengo na semana passada, todos estavam cansados de saber que as condições dos centros de treinamentos dos clubes cariocas eram precárias e careciam de melhorias. As autoridades não fizeram o que era necessário, não cumpriram com suas obrigações, e deu no que deu.

 Interdição

 Esta semana, anuncia-se que o CT do Botafogo em Caio Martins está sendo interditado até que o time da estrela solitária encontre uma solução para os muitos problemas enfrentados no espaço. No mesmo caminho devem seguir com os CTs do Fluminense e do Vasco da Gama, que também não oferecem condições ideais de funcionamento.

 Onde nos levará isto?

 Por que estas medidas agora, e não antes de jovens serem vítimas de uma tragédia sem tamanho e perderem a vida no auge de suas juventudes? Por que somente agora fechar a porta e buscar soluções?

Onde nos levará esta tal de lei de Gerson, na qual o importante é levar alguma vantagem, tão comum entre os brasileiros? Interditar centros de treinamentos tão somente para dar satisfação ao público não é e nem nunca será o melhor caminho. O povo clama por soluções e medidas definitivas, que dêem realmente um basta a tudo de errado que vemos por aqui.

Se não for assim, o melhor é não fazer nada e deixar como está. Aí, quem sabe, um novo desastre leve a uma posição definitiva, que acabe de vez com esta mania brasileira de arrumar um jeitinho para tudo, e no qual uma vida não tem valor algum.

 E os mineiros?

 Aqui nas Minas Gerais sabemos que os três grandes da capital têm centros de treinamentos que estão entre os melhores do Brasil, mas nem por isto fogem de ter lá os seus problemas. Que se encontre, sim, solução para todos eles, mas sem que alguns venham aparecer à custa dos clubes, colocando ‘chifre em cabeça de cavalo’ e apontando erros onde eles não existem.

 Melhorar sempre

 Que os três grandes de Minas têm deficiências em seus CTs é fato, mas também é certo que eles trabalham há anos em alto nível, e seus espaços para a base são muito bem cuidados. Melhorias terão, sim, que ser feitas, mas que não me venha agora alguém querer aparecer em cima dos clubes. Isto, não!!!

 Repórter sem noção

 Acho, ou melhor acho não, tenho certeza e convicção de que alguns repórteres esportivos dos tempos atuais vivem em um mundo fora da realidade, onde somente eles são donos da verdade e aquilo que as outras pessoas pensam pouco importa.

Vivem é no mundo da lua mesmo. E dá no que dá, com a gente tendo que ouvir comentários dos mais malucos e absurdos que se possa imaginar. Mas esta de um repórter do Sportv é de dar calo nos ouvidos e merece um destaque especial, apenas para que alguns também possam rir da piada.

 Sobre Neymar

 “Para mim, Neymar é o melhor jogador da história do futebol brasileiro depois de Pelé.” - Sérgio Xavier, no canal a cabo Sportv.

É, o tal de repórter ou comentarista, seja lá o que for, perdeu uma grande oportunidade de ficar calado. Neymar, o melhor do Brasil, só se estiver falando de jogadores de pelada, porque jogador, atleta de futebol mesmo, tivemos e ainda temos por aqui dezenas que foram e são melhores que este moço.

 Apenas os mineiros

 Para não envergonhá-lo em demasia, vamos ficar apenas em alguns jogadores que desfilaram seu talento pelos gramados das Minas Gerais, e que foram infinitamente melhores que o tal de Neymar.

Para não falar em Wilson Piazza e Toninho Cerezo, porque jogavam em outra posição do campo, podemos ficar apenas com nomes como Reinaldo, Tostão e Dirceu Lopes, que encantaram as torcidas de Cruzeiro e Atlético e do mundo, com seu talento de craques, e estão, sim, entre os melhores jogadores brasileiros de todos os tempos.

É! O coleguinha do Sportv perdeu uma grande chance de ficar calado. Ele deve tirar um tempo para assistir e se encantar com alguns jogos do passado. Aí ele poderia aprender algo e deixar de falar besteiras.

Comentários
×