TJMG mantém decisão e Gino poderá continuar usando nome de Geno em nova dupla

Cantor aposentado relatou indignação com a decisão

Da Redação

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu ontem, 25, manter o direito da empresa WM Shows de utilizar o nome artístico 'Gino e Geno' para apresentações e divulgações. O acórdão, segundo informações, será publicado no dia 1º de março.

Entenda o caso

Geraldo Alves, mais conhecido por Geno, saiu da dupla no fim de 2018 alegando querer descansar e cuidar da família. Pouco depois, em 2019, Gino, seu ex-parceiro, anunciou que a dupla iria continuar, agora com o cantor Mauro Avante, porém com o mesmo nome de antes. Indignado com a situação, Geraldo entrou na justiça pedindo a retirada do nome Geno na dupla, afirmando que a ação causaria prejuízos para sua vida.

Desde então, a situação se arrasta nos bastidores e na justiça. A dupla 'Gino e Geno', agora com o novo integrante, continua realizando suas divulgações e lives enquanto os shows presenciais não voltam. Uma apresentação na internet, em maio do ano passado, teve mais de 2 milhões de espectadores. Geraldo Alves, o antigo Geno, por sua vez, também realizou uma live pouco tempo depois da dupla, atingido pouco mais de 300 mil visualizações.

Gino assumiu nova formação da dupla com Mauro Avante em 2019. (Foto: Divulgação)

Indignação

A reportagem procurou Geraldo Alves para ouvir o posicionamento do ex-integrante da dupla, porém, até o fechamento da matéria, não obteve resposta. 

No último dia 11, o ex-cantor publicou uma nota nas redes sociais relatando sua indignação com o processo.

— Por infelicidade do destino, decidiram arrancar de mim a minha identidade. Estão usando a minha marca, sem a minha permissão e sob meus pedidos pra que não o façam. Colocaram uma outra pessoa, que agora chamam de “geno”. Uma pessoa está se passando por mim — relatou.

Ele, ao longo da publicação, reafirma sua frustração com a decisão.

— Estou buscando amparo e apoio na justiça. Mas essa mesma justiça ainda não foi capaz de garantir meus direitos... mesmo a marca GINO & GENO sendo de minha propriedade. Mas além de papéis, sempre foi eu. Sou eu! Tudo o que o GINO & GENO fez e construiu foi comigo — disse.

O Agora voltará a qualquer momento com novas informações sobre o caso.

 

 

Comentários
×