TJ oferece oficinas de parentalidade virtuais em julho

Da Redação

O pai ou a mãe, em momentos de discussões e brigas, muitas vezes, acaba influenciando os filhos a se posicionarem contra o outro genitor. De acordo com magistrados e psicólogos, esse fenômeno, chamado alienação parental, ocorre principalmente quando as brigas se dão na fase de separação.

A alienação parental pode acontecer, ainda, quando quem tem a guarda do filho o impede de conviver com parentes maternos ou paternos.

Visando fazer com que identifiquem o que configura a alienação parental e quais são seus atos mais comuns, bem como orientar os pais sobre essa prática maléfica aos filhos, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por meio do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Belo Horizonte, realiza as oficinas de parentalidade.  

As próximas oficinas serão realizadas virtualmente em 20 e 21 de julho, às 9h, por meio da plataforma Cisco Webex. São 20 vagas para cada turma.

Podem participar casais que tenham processos de divórcio já em andamento ou que ainda serão iniciados. No entanto, a participação ocorre separadamente.

— Nas oficinas, o pai participará de um horário; e a mãe, de outro — explicou o juiz coordenador do Cejusc da capital, Clayton Rosa de Resende. Também pode haver apenas a participação de um deles.

A conciliadora e mediadora Fátima Salomé disse que as oficinas abordam questões com as quais as pessoas vão se identificar.

— Falamos sobre o divórcio; sobre os efeitos do divórcio na vida dos adultos, na vida dos filhos; em quais situações os pais precisam ficar atentos; o que seria uma escalada do conflito; como os pais, sem perceber, arrastam os filhos para esse conflito. Conversamos sobre a guarda, a guarda compartilhada, a importância de se desvincular a relação conjugal da parental, entre outros.

Fátima Salomé garante que as pessoas saem mais tranquilas, mais reflexivas, com vontade de fazer diferente e se responsabilizando por eventual mudança na família.

Interessados poderão se inscrever pelo e-mail cejuscbh.mediacao@tjmg.jus.br e informar nome e e-mail para contato. A confirmação da inscrição e as instruções para acesso à sala virtual serão informadas por esse canal.

Comentários
×