Testagem para covid-19 ser√° ampliada em Minas Gerais

Da Agência Minas

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) anunciou, em coletiva virtual nesta terça-feira, 6, a ampliação dos critérios de testagem para covid-19 em Minas. O secretário Carlos Eduardo Amaral informou que os testes, a partir de agora, também serão realizados em todas as pessoas que se enquadram na definição de caso suspeito de síndrome gripal, causada pelo Sars-CoV-2, ou seja, com suspeita da covid-19.

— Essa ampliação significa o esforço que temos feito com objetivo de ampliar a rede e aumentar a capacidade de testagem. Com isso, a expectativa é de bloquear ainda mais a transmissão da doença no estado, trazendo a redução nos números em Minas — explicou Amaral.

Método

A política do Estado para realização de teste pelo método RT-PCR segue a recomendação do Ministério da Saúde (MS). A testagem é feita, por exemplo, em casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, óbitos por SRAG suspeitos, profissionais de Saúde e de Segurança pública sintomáticos, idosos com idade igual ou superior a 60 anos, sintomáticos, pacientes com comorbidades, entre outros.

Aliado a isso, a SES-MG tem disponibilizado quantitativo de testes rápidos vindos do MS. O público para este tipo de testagem é composto por qualquer paciente com sintomas - seja leve, moderado ou alto, que estejam nos seguintes grupos: profissionais de Saúde e Segurança pública em atividade; pessoa que resida no mesmo domicílio de um profissional de Saúde e Segurança pública em atividade; pessoa com idade igual ou superior a 60 anos; portadores de condições de risco para complicações da covid-19; e população economicamente ativa.

Clique aqui para ter acesso ao manual do diagnóstico da covid-19.


Atividades escolares

O secretário adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, destacou os protocolos elaborados pelas equipes técnicas da SES-MG para atender adequadamente à retomada das atividades escolares presenciais.

— É importante destacar, ainda, que Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são providenciados para os servidores e colaboradores envolvidos — afirmou.

Já Carlos Eduardo Amaral reforçou o trabalho intenso realizado tanto pela SES-MG quanto pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) para que se chegasse ao protocolo apresentado.

— Hoje, temos um protocolo que apresenta uma tripla checagem, passando pelo nível estadual, local e parental. No nível estadual, separamos claramente os protocolos da Saúde e as estratégias da Educação, a partir das seguintes pontuações: só haverá retomada das atividades escolares quando se tratar de município integrante da onda verde do plano Minas Consciente. Além disso, descrevemos um protocolo adequado, envolvendo todos os momentos relacionados à rotina escolar, como transporte, refeição, distanciamento dentro da sala de aula e uso dos banheiros — detalhou o secretário.

Segundo Amaral, do ponto de vista da Educação, o controle do risco está no retorno gradual.

— Não há como se pensar no retorno de todas as turmas ao mesmo tempo, então é sinalizado com muita clareza que, no estado, haverá um retorno gradual, para que as escolas não fiquem cheias como antes da pandemia — explicou. No segundo nível de controle (local), os gestores municipais avaliarão, a partir do cenário, se o retorno está adequado e como se dará o desenvolvimento do mesmo.

Já no terceiro nível de controle, está o poder de decisão dos pais e responsáveis. Nesse nível, entendemos que os pais devem avaliar as condições de saúde como um todo e decidir se a criança volta ou não às atividades presenciais.

— E não tenham dúvidas de que se tivermos um impacto na situação da covid no estado, a qualquer momento, daremos um passo atrás, como fizemos ao longo de toda a epidemia — destacou.

Coment√°rios
×