Tempo de recomeço

Tempo de recomeço 

Ontem, 19 de outubro, foi um dia histórico para Divinópolis. A Prefeitura anunciou, às 15h34, que três hospitais da cidade não têm pacientes com sintomas de covid-19 internados em seus Centros de Terapia Intensiva (CTIs). Ainda segundo o Executivo, a taxa de ocupação de CTI é de 16,05%, com 13 pessoas internadas entre os 81 leitos da cidade disponíveis para tratamento da doença. No setor de enfermaria, a taxa é de 26,13%, com 29 leitos ocupados entre os 111 totais do município. Ainda não é o fim da pandemia, mas é aquela notícia que todos aguardavam há meses. É a notícia que todos queriam dar desde o início deste pesadelo: a redução drástica de internações, casos confirmados e óbitos na cidade. O caos parece, enfim, estar próximo do fim, e o sonho do retorno à normalidade está cada vez mais próximo. 

 

Mesmo com os inúmeros tropeços no caminho, a população pode comemorar esta grande vitória. E, muito além de comemorar, agradecer. Sim! Agradecer àqueles que lutaram, que não desistiram e buscaram incessantemente as vacinas, além das medidas de prevenção, que, sem sombra de dúvidas, foram primordiais para que vidas fossem salvas todos os dias. Chegamos aqui, hoje, estraçalhados, cansados, mas cheios de esperança, pois é anunciado “o tempo de recomeço”. É chegado o momento de juntar os cacos e recomeçar. Recomeçar a vida, a empresa, os planos, os projetos parados. É tempo de voltar a sonhar. Mesmo com os percalços no caminho, com as notícias falsas, com o negacionismo, resistimos, e hoje é anunciado o tempo dos sonhos e esperança. 

 

Hoje, quando a esperança pode finalmente ocupar o lugar do medo, o desejo é que cada ser humano tenha conseguido absorver as lições deixadas por esta pandemia – mesmo aqueles que perderam familiares e amigos. Dentre os principais ensinamentos podemos destacar alguns: não vivemos sozinhos e, justamente por isso, precisamos olhar para o lado, ser solidários, ajudar o próximo; precisamos sempre ajustar a rota; uma live, um contato virtual nunca conseguirá substituir o poder de um abraço. Chegamos aqui, não inteiros, nos faltam pedaços, mas, ainda assim, o que não faltam são motivos para comemorar essa boa notícia. E desejar que mais boas novas venham, que possamos anunciá-las. Comemoramos a redução de internações, de casos confirmados, de óbitos, mas em especial a vitória da ciência sobre as notícias falsas, sobre o negacionismo, sobre o radicalismo. 

 

É tempo de recomeçar, de seguir em frente, de sonhar, mas também é tempo de refletir sobre tudo o que foi vivido, sobre as marcas deixadas em nossa alma. Ao que tudo indica, o fim do caos está próximo, mas tudo ainda depende de nós, seres humanos. Recalcular a rota é preciso. Recalcular o que é absorvido, o que é dito e os atos também. Afinal, tudo o que foi vivido foi apenas uma prova de que do jeito que estava não estava bom, e que agora, mais do que nunca, é preciso recomeçar, mas recomeçar do zero, incluindo até os pensamentos.

 

E que venham boas e novas notícias para marcar os novos tempos.

 

Comentários
×