Tempo de boas notícias

Adoro fazer aniversário por dois motivos: primeiro porque estou vivo; segundo, para receber carinho. Não tenho nenhum receio em colocar a boca no trombone, anunciar aos quatro ventos que eu ainda não morri e que as pessoas não devem se acanhar em me desejar felicidade. Fazer o bem sem olhar a quem permite que a recompensa venha de onde não se espera. Desejar felicidade a alguém e torcer pela realização dos seus sonhos é uma energia muito positiva, capaz de mover céus e terra, uma verdade incontestável.

Com toda a honestidade, estou em estado de graças: amanhã, iniciam-se os festejos comemorativos dos meus 65 anos. Embora a velhice bata à porta, hoje, pulei da cama cedo, olhei no espelho e, mais uma vez, a agradável surpresa: meu rosto é o mesmo de ontem, o mesmo de anteontem, aliás, o mesmo de anos passados, não mudei nada. Ora, levantar-se de manhã e andar com as próprias pernas já são motivos suficientes para dar mil graças, por isso merece celebração.

O tempo é um carrasco, judia das pessoas, pinta o sete com os outros. Comigo não, porque não tenho medo. Na verdade, quem vive com medo não serve para viver, pois a vida é uma batalha. Como diria dom Serafim, viver não é nada, o difícil é conviver. No espaço onde se agrega mais de uma pessoa sempre há confusão, mal-entendidos, fofocas, intrigas e rasteiras. No entanto, quando um não quer dois não brigam, embora seja extremamente difícil oferecer a outra face.

Contudo, como diz a sabedoria bíblica, quem planta boas sementes colhe bons frutos. As boas sementes estão sempre misturadas com as de má qualidade, daí a necessidade de paciência e dedicação para separá-las. Uma vez plantadas, a própria natureza se encarrega de recompensar o agricultor.

Por isso, estimado leitor, querida leitora, não se furte em celebrar comigo. Nesta sexta-feira, 18, a partir das 19h30min, na igreja de Nossa Senhora de Fátima, no bairro Porto Velho, haverá um belíssimo concerto reunindo o Minueto Trio de Cordas, lançamento do selo comemorativo pelos Correios e o encerramento desse encontro será de responsabilidade do Coral Municipal de Divinópolis, sob regência do maestro José Carlos Gonçalves.

No sábado, 19, às 18h30min, na mesma igreja, missa em ação de graças, presidida pelo padre Reginaldo Martins Vieira, com participação dos Rouxinóis, sob regência do maestro Tonico Gontijo. Aliás, os Rouxinóis participam dessa celebração há 35 anos.

E no domingo, 20, grande festa em honra de Nossa Senhora do Rosário, com missa às 15h30min, no Santuário de Santo Antônio, seguindo-se a procissão com todas as guardas e o estado de coroas até a Praça do Mercado. Essa festa fecha o ciclo do congado na Cidade Divina.

augustofidelis1@gmail.com

Comentários
×