Suspeito de assassinato é preso preventivamente

 

Matheus Augusto

Mais um homicídio em Divinópolis está próximo de ser solucionado. O suspeito de ter assassinado um cabeleireiro se apresentou na Delegacia Regional da Polícia Civil. Lucas A. dos Santos, de 25 anos, alega ter matado José Osvaldo Sobrinho, de 55 anos, após ter sido chantageado com um vídeo íntimo. Ambos supostamente mantinham um relacionamento.

O suspeito encontra-se no presídio Floramar, após ter prisão preventiva decretada pelo prazo de 30 dias.

Crime

Segundo informou o delegado regional, Leonardo Pio, os investigadores começaram a estabelecer os últimos contatos que a vítima teve. Uma vez tomado conhecimento do suspeito, o monitoramente teve início.

— Na sexta-feira, 9, tivemos a informação do suspeito qualificado, que começou a ser monitorado pela polícia. Ele, sabendo que estava sendo monitorado, se ocultou e se apresentou no sábado na delegacia. (...) nós procedemos a oitiva, colhemos a confissão e fizemos a representação pela prisão temporária dele, sendo deferida pelo prazo de 30 dias — comunicou.

Motivação

Leonardo Pio conta ainda que Lucas A. dos Santos alegou ter um relacionamento com José Osvaldo. A vítima teria um vídeo íntimo dele, e o estaria chantageando.

— O autor confessa a autoria do homicídio e a tese dele é de que vinha sendo chantageado pela vítima, com quem tinha um relacionamento e que possuía um vídeo — afirma.

O delegado revelou ainda que o suspeito contou que, ao tentar encontrar e destruir o vídeo, entrou em confronto com a vítima. 

— Na quarta-feira à noite, ele alega que foi até a casa da vítima. Enquanto revirava os pertences para tentar localizar o aparelho celular ou aparelho onde estava o vídeo dele com a vítima, José entrou em uma luta corporal com ele. Para se defender, ele desferiu uma facada no pescoço da vítima — relatou Leonardo.

Investigações

O suspeito está sendo investigado, além dos homicídios, por alterar a cena do crime e furto.

— Ele é investigado pela prática de homicídio qualificado, fraude processual, uma vez que modificou a cena do crime e, possivelmente, poderá responder também pela prática de furto, pois subtraiu o aparelho celular e a carteira da vítima — explica o delegado.

O delegado conta ainda que nem a vítima nem o suspeito possuem registros policiais.

— O suspeito possui algumas ocorrências como acidente de trânsito, confusão e brigas — explicou.

Somente neste ano, já foram registrados 32 homicídios em Divinópolis, contra 39 ocorridos no mesmo período de 2018, ou seja, sete assassinatos a menos.

 

Comentários
×