Supermercados mineiros registram crescimento

Jorge Guimarães

O crescimento real do setor supermercadista mineiro acumulado de janeiro a outubro deste ano ficou em 3,73%, conforme divulgou a Associação Mineira de Supermercados (Amis) ontem. O resultado é apontado pelo Termômetro de Vendas, pesquisa mensal da entidade, com empresas de todo o estado. Em outubro deste ano, mês de referência da pesquisa, em relação ao mesmo mês do ano passado, o resultado foi de 8,52%.

Na comparação dos resultados do mês de outubro de 2019 sobre setembro, também deste ano, o setor apresenta crescimento de 4,26%. Os dados estão deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de geografia e Estatística (IBGE).

Fatores

Um dos fatores que influenciam os números é a base fraca de comparação em setembro (-4,07%), mas já se pode dizer que o setor tem respondido bem às medidas de incentivo ao consumo e à ligeira melhora do emprego. A liberação dos saques do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) também traz alguma contribuição, ainda que pequena.

Sobre o mesmo mês de 2018, vale destacar, ainda, que no ano passado por motivo das eleições presidenciais em dois domingos (7 e 28), o setor não pôde vender bebidas alcoólicas, categoria importante no faturamento por si só e que puxa as vendas de diversos itens. Outro fator é que em 2018, o feriado de 12 de outubro, Nossa Senhora Aparecida, ocorreu na sexta-feira, ocasionando assim o feriado prolongado. Neste ano, foi no sábado.

O presidente executivo da Amis, Claret Mametela, fala que a meta para este ano é bater os 4%, e nos primeiros dez meses já se alcançou 3,73%. Segundo ele, os números de outubro se mostram um sinalizador positivo.

— Estamos confiantes que chegaremos lá. E, para o fim do ano, esperamos um crescimento em torno dos 3,5%, sendo melhor número que o do ano passado. Em nível nacional, superamos a média nacional, que registrou crescimento de 3,48%, contra os nossos 3,73%. Agora é aguardar o fim de ano, para então estudarmos as projeções para que 2020 também seja de sucesso como foi 2019 — detalhou Claret  Mametela.    

Regiões

A variação média em todo o estado foi de 4,26%.

Entre as regiões, a do Triângulo é que teve melhor desempenho, fechando com crescimento de 4,65%, seguida de perto pela Zona da Mata, com 4,61%. Depois vem a Central e a do Sul, com 4,34% e 4,05%, respectivamente. Já a Centro-Oeste fechou com crescimento de 3,94%, seguida pelo Rio Doce/ Mucuri/Jequitinhonha, que teve 3,84%. Já a Norte foi a que teve menor desempenho, apesar de positivo, fechando com 3,82%.     

Comentários
×