Supermercadistas da região amargam pior resultado de MG

 

 

 

Pablo Santos 

As vendas dos supermercados do Centro-Oeste de Minas Gerais retraíram em agosto, quando se compara com julho. Apesar de algumas regiões do estado apresentar faturamento negativo, no geral, o setor está com vendas em crescimento no acumulado do ano, de acordo com os dados do Termômetro de Vendas da Associação Mineira de Supermercados (Amis).

Das sete regiões pesquisadas, a maior queda no faturamento foi no Centro-Oeste. Conforme a pesquisa, o declínio foi de 1,61% em agosto no comparativo com o mês anterior. No Norte de Minas, os empresários também apontaram declínio de 0,44%.

Já em outras cinco regiões, o resultado de agosto foi positivo. O maior crescimento foi na região Central: 2,07%. A Zona da Mata ficou na segunda colocação com alta de 1,23%. Na terceira posição aparece o Sul de Minas com 0,89%, acompanhado do Triângulo Mineiro (0,76%) e Rio Doce (0,55%).  No geral, o faturamento cresceu 0,95% em Minas Gerais.

O resultado positivo em agosto é considerado pelos empresários como um crescimento natural do setor por ser uma variação pequena.

 Positivo

 A pesquisa, realizada com supermercadistas de todo o Estado, mostra também crescimento no faturamento em agosto deste ano sobre o mesmo mês de 2017. De acordo com a Amis, o setor apresentou crescimento de 3,58%.

— Um dos fatores que puxaram as vendas foi a liberação das cotas do PIS/Pasep, que injetou  R$ 39,3 bilhões na economia nacional — destacou em nota a Amis. 

O desempenho acumulado do ano, de janeiro a agosto também ficou positivo em 2,73%.   Os números já estão deflacionados pelo IPCA/IBGE.

 Brasil

 No Brasil, os números estão melhores. As vendas de em agosto cresceram 3,64% em termos reais ante igual período de 2017 e 1,35% sobre julho, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). No acumulado em 2018 até agosto, o setor teve alta real de 1,99% ante mesmo intervalo de 2017.

Em termos nominais, as vendas de supermercados cresceram 7,97% no mês passado e 5,48%

 

Comentários
×