Superávit da balança comercial avança 24%

Pablo Santos

O saldo da balança comercial da região Centro-Oeste terminou 2019 com crescimento de 24%. As exportações concretizadas pelos 76 municípios da região influenciaram no superávit do estudo da Federação das indústrias de Minas Gerais (Fiemg). Se as exportações superam as importações, o resultado é de superávit. Porém, quando acontece o contrário, o resultado é de déficit.

O saldo positivo da balança comercial da região atingiu a cifra US$ 662 milhões em 2019. O desempenho é 24% maior na comparação com o período anterior, quando o superávit ficou em US$ 492 milhões.

Quando se compara com 2017, o saldo da balança comercial da região avançou 55%. Naquele período, o superávit ficou em US$ 427 milhões, apontou o estudo da Fiemg.

As exportações foram responsáveis pelo resultado crescente no ano passado da balança comercial da região. De acordo com os dados, as vendas para exterior em 2019 somaram US$ 877 milhões e as importações chegaram a US$ 215 milhões.

Conforme os números da Fiemg, 44% das exportações regionais são da área de metalurgia, acompanhada da extração de minerais (24%) e alimentos (9%).

Brasil

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 46,674 bilhões em 2019. O resultado positivo do ano passado apontou queda de 19,6% em relação a 2018 – quando as exportações superaram as compras do exterior em US$ 58,033 bilhões.

De acordo com números oficiais do Ministério da Economia, esse também foi o menor superávit comercial para um ano fechado desde 2015, ou seja, em quatro anos.

Segundo com os dados oficiais, tanto as exportações quanto as compras do exterior recuaram no ano passado, mas as vendas externas apresentaram tombo maior.

Em 2019, as exportações somaram US$ 224,018 bilhões, com queda de 7,5% sobre o ano anterior – quando somaram US$ 239,264 bilhões.

Comentários
×