Sonhos

Amnysinho Rachid 

Os temos desde que nascemos: sonhos. Repare uma criança recém-nascida tirando um cochilo depois daquela mamada. Parece até que estão sorrindo, aí com certeza a mãe diz: "Que lindo, sonhando com os anjinhos".   

O sonho é uma experiência que possui significados distintos. Para a ciência, faz parte da imaginação do inconsciente durante o período do sono. Para Freud, os sonhos noturnos são gerados na busca pela realização de um desejo reprimido... Vai saber.

Mas existem sonhos que, quando você acorda, acredita serem muito reais mesmo. Existem aqueles viciados na análise dos sonhos, que, ao amanhecer, tentam decifrá-los. Vale até fazer aquela fezinha no jogo do bicho… Sonhou com a sogra, cobra na cabeça; com a vizinha encrenqueira, vaca com certeza, e assim por diante.

Outro dia sonhei que estava sendo perseguido por duas grandes amigas, Ellen e Romilda, que, dirigindo uma camionete verde musgo modelo antigo, tentavam de todo jeito me atropelar. O pior era que a Ellen no volante dava altas risadas maquiavélicas e a Romilda na boleia gritava para atropelar. Acordei acabado de tanto correr e já mandando mensagem perguntando o porquê do fatídico ataque. Rimos muito com a participação da amiga Leila que acredita que seja carência de nossos deliciosos encontros.

Lembro que quando pequeno era sonâmbulo e sempre era pego por meus pais dando volta na casa, guiado com aquela frase: "Vai no banheiro, faz xixi e volta para cama".

Na minha família, era comum o sonambulismo, acho que a turma era ligada no 220. Naquela época, quando a gente estava muito levado e a mãe nervosa não dava outra: íamos ao médico, ou melhor, ao doutor Otaviano, que era nosso vizinho e de cara receitava gardenal. Acho que todos da família tomaram, sossegava a turma.

Tenho um caso ótimo também de em um delicioso carnaval em que fui dormir na casa do meu primo Gilberto. Chegamos já amanhecendo e passamos direto para cama, apaguei e passou um tempinho fui acordado pelo meu primo que, com os olhos esbugalhados, dizia: "O bloco de dentro está dentro do bloco de fora, entendeu?". E eu dizia não. Ele ficou nervoso e saiu para o quintal e tentava no muro me explicar o que queria: "O bloco de dentro está dentro do bloco de fora, entendeu?". Tentava entender esfregando os olhos e nada, ao voltar para o quarto encontrei com o doido já dormindo, era sonambulismo. No outro dia, ao acordar, comentei e o Gilberto quase morrendo de rir lembrava do acontecido e que não conseguia parar. Coisa de louco.

Mas um bom sonho nos leva para lugares jamais imaginados e que torcemos que se tornem realidade ou com aquela deliciosa tentação gastronômica, sonho de doce de leite.

E assim seguimos, sonhando e tendo certeza que bons momentos estão para chegar, que essa pandemia já vai acabar.

E continuamos a realizar sonhos, TOK EMPREENDIMENTOS, rua Cristal, 120, Centro. 

rachidmendes@hotmail.com            

Comentários
×