Só Deus

Preto no Branco 

O prefeito Galileu Machado (MDB) disse à coluna, após lê-la na quinta-feira, que  é candidatíssimo à Prefeitura de Divinópolis nas eleições, até agora agendadas para outubro próximo. Este PB trouxe a informação neste dia que Machado não disputaria o cargo a pedido de amigos próximos e familiares.   Na opinião destas pessoas, a idade, quase 87 anos, e o muito que fez pela cidade são fatores predominantes que ele deixe a vida pública. “Só Deus me tira desta disputa’, afirmou o Galileu.

Não teme 

O fato de ter diversos concorrentes, no mínimo seis, não desanima Galileu.  Ainda não há confirmações oficiais de quantos, já que isso só ocorre depois das convenções partidárias e os devidos acertos com a Justiça Eleitoral. Mas, pelo andar da carruagem, a situação caminha para ocorrer como foi nas eleições dos últimos pleitos. Muita gente na disputa e um apenas beneficiado com a divisão de votos. O emedebista mais antigo da cidade e fiel à sigla diz que está acostumado à grande concorrência e que não lhe causa nenhum temor. Pura verdade, no entanto, os tempos são outros, especialmente este pelo qual passamos.

Restante do salário 

E ainda falando no prefeito, ele se reuniu ontem à tarde com a secretária da Fazenda, Suzana Xavier, e técnicos da secretaria em busca de uma saída para pagar o restante do salário dos servidores. Depois de apertar daqui e de lá, fizeram alguns ajustes e redução de custos para honrar o compromisso com os trabalhadores municipais. Com tudo na ponta da caneta, ficou definido que o Município pagará nesta quinta-feira, 14, o restante que ficou devendo aos servidores. Boa parte deles e quem ganha até R$ 3.500 receberam semana passada. Sem dúvida, mais um peso que Galileu tira das costas em um período difícil e conturbado em todo o planeta. 

Uso obrigatório 

Os números de vítimas do coronavírus no Brasil se agigantam, mas tem muita gente que continua fingindo que nada está acontecendo. Por conta deste desleixo, alguns estados estão adotando medidas drásticas. Entre elas, lockdown e uso obrigatório de máscaras com aplicação de multas em caso de desobediência. É o caso de Brasília. Desde ontem, é indispensável o uso de máscaras em todas as vias e espaços públicos, transportes públicos coletivos, estabelecimentos comerciais, industriais e espaços de prestação de serviço. A exigência é por tempo indeterminado. Quem for pego sem o item considerado fundamental na prevenção da covid-19 poderá ser autuado e multado em valor a partir de R$ 2 mil. Certíssimo. “Quem não vai pelo amor, vai pela dor!” E existe alguma dor pior para o brasileiro do que mexer no seu bolso? Se todos os governadores e prefeitos fizessem assim, quem sabe já estaríamos livres desta praga.

Tem quem faz

Um deles é o deputado federal Domingos Sávio (PSDB). Sempre atento às necessidades de Divinópolis, ele não costuma ignorar os pedidos de socorro nem quando o político é seu adversário. Por isso, é difícil passar um mês que não tenha um anúncio de sua parte que beneficie a cidade e região. Um exemplo foi a visita do secretário Nacional de Atenção à Saúde, Francisco de Assis, ao Complexo de Saúde São João de Deus, na última semana, a convite do deputado. Ele veio conhecer a única instituição que atende pelo SUS na cidade. Domingos aproveitou para agradecer a liberação de recursos para a abertura de 30 leitos pelo sistema público para o combate à covid-19 e pediu o credenciamento da maternidade de alto risco.  O secretário, que responde pela pasta desde 2016, falou sobre o enfrentamento ao vírus em todo o país e deixou clara sua admiração pelo deputado, que “não sai do seu pé” em busca de melhorias para a saúde local e regional. E é assim que se faz. “Antes pecar pelo excesso do que pela omissão.” E o que tem de político que se finge de morto! Ainda bem que Domingos Sávio é vivo até demais. Ao contrário, a Saúde divinopolitana não estaria na UTI, mas no cemitério, há muito tempo.

 

Comentários
×