Sistema Preventivo contra Incêndios tem auxiliado Bombeiros na cidade

Órgão reafirma importância de plano preventivo; setor de Fiscalização de Posturas poderá autuar e multar donos de lotes vagos

Da Redação 

A instalação de sistema preventivo tem favorecido os trabalhos de contenção de incêndio em Divinópolis. Isso confirma a importância do sistema anti-incêndio, previsto no Processo de Segurança Contra Incêndio e Pânico (PSCIP).

O 10° Batalhão de Bombeiros Militar em Divinópolis registrou, neste mês, duas ocorrências de incêndio em edificações nas quais o sistema preventivo instalado foi suficiente para realizar o combate às chamas. Um exemplo foi o socorro a uma ocorrência de incêndio em um apartamento localizado no sexto andar no último dia 3, na região central de Divinópolis. Antes da chegada da equipe, o combate às chamas já havia sido iniciado por vizinhos da edificação e policiais militares, utilizando o sistema interno de hidrantes. 

A ação dos moradores do prédio evitou maior propagação do fogo e gravidade do acidente. A instalação preventiva facilitou o trabalho da guarnição de bombeiros, uma vez que o incêndio foi controlado graças aos hidrantes do prédio.

Outra ocorrência também reafirma a importância de prevenção. O Corpo de Bombeiros foi acionado na manhã desta terça-feira, 14, para combate a uma chama em uma edificação comercial. O princípio de incêndio foi contido  pelo proprietário da empresa, com a utilização de extintores que fazem parte das medidas de segurança previstas para aquele tipo de estabelecimento. 

Decreto estadual 

De acordo com o Decreto 47.988/2020, que dispõe sobre a Prevenção Contra Incêndio e Pânico no Estado de Minas Gerais, as edificações e espaços destinados a usos coletivos devem apresentar medidas de segurança, seguindo protocolo próprio que leva em consideração o seu risco e utilização. Dentre estas medidas estão contidas a instalação e manutenção de extintores,  presença de sinalização de emergência, iluminação de emergência, sistema de hidrantes em possível estado de utilização, sistema de detecção de gases, dentre outros. 

O Corpo de Bombeiros afirma ser necessário que as edificações se mantenham regulares perante a corporação e que obedeçam aos protocolos previstos no sistema preventivo, para que as edificações garantam o mínimo de segurança a moradores e  frequentadores.

Outros incêndios 

Já na semana passada, o 10º Batalhão de Bombeiros atendeu 30 ocorrências apenas em Divinópolis. Grande parte dos casos está relacionada a um problema recorrente, especialmente nesta época do ano, que é a sazonalidade de queimadas. 

— Em virtude do período de estiagem há um aumento significativo nos atendimentos em incêndios de vegetação. Destes atendimentos realizados no dia 9, 30% correspondem a incêndios em lotes vagos — informou o Batalhão.

Para desburocratizar as ocorrências de queimadas em lotes vagos, a Prefeitura firmou uma parceria com o 10º Batalhão para minimizar os danos ao meio ambiente e à saúde. A partir de agora, todas as ocorrências relacionadas a queimadas em lotes vagos recebidas pelo Corpo de Bombeiros serão direcionadas ao setor de Fiscalização de Posturas, responsável por notificar ou autuar o dono do lote vago atingido pelas queimadas.

— As maiores ocorrências de queimadas acontecem no inverno, entre os meses de junho e setembro. Por se tratar de um período com ar seco e com baixa frequência de chuvas, os donos do lote queimam o local com o objetivo de limpar o terreno de forma fácil. Em contrapartida, esta prática traz riscos ao meio ambiente e à saúde das pessoas que vivem nas intermediações — explicou o Executivo.

Comentários
×