Sintram e Prefeitura discutem terceirização de pessoal na UPA

Transferência dos profissionais efetivos da unidade continua em discussão

Da Redação

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram) se reuniram ontem, 19, com o Poder Executivo, para discutir a terceirização da Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24H). A transferência de servidores efetivos da UPA para Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município é a principal reivindicação do Sindicato.

Encontro

Em nota, o Sintram informou que participaram da reunião uma comissão de vereadores, representantes dos servidores e a presidente do sindicato, Luciana Santos. A nova terceirização da unidade, cujo processo licitatório está marcado para o próximo dia 8 de julho, prevê a transferência dos servidores efetivos do município cedidos à UPA. A categoria não aceita deixar a Unidade, e isso criou um impasse com o Executivo, que pretende transferir os 128 servidores efetivos.

— O Sintram vem travando uma exaustiva batalha com o Executivo para que as transferências não sejam efetivadas e que os servidores sejam mantidos em seus postos na UPA, conforme é o desejo da classe.  Luciana Santos já realizou uma série de reuniões com o Município, porém até agora está mantida a decisão de remanejamento dos servidores — afirmou o sindicato.

Pressão

De acordo a presidente, a expectativa é que o prefeito Galileu Machado (MDB) ceda à pressão do sindicato e mantenha os servidores na unidade. Ainda segundo a presidente, o próprio prefeito reconheceu que o modelo de terceirização não é adequado para Divinópolis. Luciana reforçou também que o sindicato não irá recuar nas negociações, e continuará pressionando para suspender as transferências.

— Temos que pensar na situação dos servidores e também na operacionalização da UPA. É correr um risco muito grande remanejar servidores com longa experiência no atendimento de urgência e emergência para contratar novos profissionais exigindo apenas um ano de experiência, como está previsto no edital do processo licitatório para a terceirização da gestão a unidade — destaca.

Comentários
×