Sindicato entrará com novo pedido de impeachment

Da Redação

O Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram) realizou uma assembleia para os servidores municipais, na noite desta segunda-feira, 29. Na reunião, os funcionários da Prefeitura de Divinópolis votaram os rumos da categoria. No dia 23 de abril, representantes do Sintram, do Sindicado dos Trabalhadores na Educação Municipal de Divinópolis (Sintemmd) e da comissão de servidores se reuniram com a secretária de Fazenda, Suzana Xavier, o secretário de governo, Roberto Chaves, e o procurador do município, Wendel Teixeira, para iniciarem a negociação do pagamento do gatilho salarial.

Os sindicatos reivindicam o pagamento do gatilho (4,59%), mais 3,86% referentes às perdas de 2017, além de ganho real de 5%. Durante o encontro, o Executivo Municipal pediu que os sindicatos adiassem a campanha salarial 2019, sob a alegação de que o Governo do Estado não fez nenhum repasse ao Município, referente à dívida de 2018 e janeiro de 2019. Logo após a reunião, a presidente do Sintram, Luciana Santos, gravou um vídeo e informou que uma assembleia estava marcada para esta segunda, para que a categoria decidisse quais atitudes iria tomar. Foi colocado em votação na assembleia o início de uma greve e da operação “Tartaruga”, porém ambas foram rejeitadas pelos funcionários do Executivo Municipal.

Durante a apresentação, a presidente do Sintram e o diretor do sindicato, Rodrigo Rodrigues, mostraram aos servidores o ofício da administração informando que não será cumprida a lei do gatilho e nenhum item da campanha salarial será atendido pelo governo.

Impeachment

Apesar da rejeição do início de greve e da operação “Tartaruga”, os funcionários da Prefeitura aprovaram a solicitação de um novo pedido de impeachment do prefeito Galileu Machado (MDB), por descumprimento da Lei Municipal 8.083/2015, mais conhecida como a “Lei do Gatilho”, que prevê a revisão automática anual dos salários do funcionalismo, de acordo com o índice IPCA da Fundação Ipead/UFMG.

O pedido será protocolado no Poder Legislativo, pelo Sintram, no dia 9 de maio. A presidente do Sintram, Luciana Santos, disse que está claro que falta planejamento na Prefeitura, e que a atual gestão está inchando cada vez mais a máquina pública.

— A revisão salarial está prevista em lei e o Município não se preocupou em adequar os gastos diante da crise que se abateu sobre todos os municípios mineiros, fazendo, de fato, uma reforma administrativa, com fusão de secretarias e redução de comissionados — destaca.

Prefeitura

A Prefeitura informou por meio de sua assessoria de imprensa que ainda não tem conhecimento do pedido de impeachment.

 

Comentários
×