Sindicato denuncia que Settrans expõe saúde dos servidores ao determinar que refeições sejam feitas na rua

Da Redação

O Sintram recebeu uma denúncia de que os agentes de trânsito da Secretaria de Trânsito e Transportes de Divinópolis (Settrans), a partir desta semana, estão sendo obrigados a lanchar nas ruas ou dentro dos carros, sem poder higienizar as mãos antes das refeições.

— Ou seja, uma medida básica para garantir a saúde desses trabalhadores, ainda mais nesta situação de pandemia, foi proibida essa semana — ressaltou o sindicato.

A diretoria do Sintram questionou a situação, que expõe a saúde dos servidores, enviando ofício ao gerente de operações e fiscalização de trânsito, Vitor Moreira.

— O Sintram vem requerer o posicionamento desta Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Segurança Pública, quanto à medida imposta aos agentes de Trânsito, da proibição de fazer refeições/lanches dentro da cantina desta secretaria, e que estão tendo que fazer suas refeições nos passeios ou dentro das viaturas, sem condições de fazer a higienização adequada — questionou a presidente, Luciana Santos, em oficio endereçado ao gerente.

Também no ofício, o sindicato pede que a Secretaria regularize a entrada dos trabalhadores na cantina, por agentes, ou seja evitando aglomerações,  de modo que todos  tenham condições de fazerem suas refeições/lanches, dentro de condições de higienização adequada.

Além disso, o Sintram informou que, representado pelo vice-presidente, Wellington Silva, foi proibido de verificar as condições de trabalho dos servidores da pasta (fornecimento de EPIs e material para higienização das mãos). A medida de fiscalização atendia inclusive pedido do Ministério Público do Trabalho, que tem inquérito contra a Prefeitura de Divinópolis e citou o sindicato para relatar as condições de segurança à saúde do trabalhador.

— Fomos barrados de verificar as condições de trabalho dos servidores em abril, em uma atitude totalmente antissindical e arbitrária e agora o Sindicato recebeu essa denúncia, que é um absurdo. Enquanto as autoridades de saúde do próprio município recomendam, a todo momento, a higienização das mãos, temos essa notícia que uma Secretaria do município manda seus servidores fazerem as refeições nas ruas, sem qualquer condição para higiene das mãos. Repudiamos atitudes como essa que mostram total desrespeito a saúde e vida de nossos servidores e esperamos providências urgentes do município para correção deste problema — disse o vice-presidente Wellington Silva.

Comentários
×