Sinal Verde

Sinal verde

Todas as 14 macrorregiões do estado continuam na onda verde do Minas Consciente. A atualização foi divulgada ontem pelo governo estadual. Com isso, sem alteração significativa também na microrregião, Divinópolis deve permanecer, por mais uma semana, no estágio mais flexível do programa. O cenário da pandemia se mostra cada vez mais estável. Segundo o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, os indicadores continuam em queda. “Continuamos, gradualmente, melhorando a situação da pandemia, mas é preciso que todos os mineiros e mineiras permaneçam em alerta. O vírus não foi embora, todo cuidado é pouco. E quem não vacinou pode e deve procurar o posto na sua cidade. Quanto mais gente imunizada melhor”, enfatizou Baccheretti.

Queda

A taxa de incidência do coronavírus em Minas Gerais, por exemplo, registrou queda de 35% nos últimos 14 dias. Outros dados também foram apresentados: mais de 58% da população acima de 12 anos completou o esquema de vacinação contra a doença e 87% dos mineiros nesta faixa etária já receberam pelo menos a primeira dose. Conforme já havia sido destacado anteriormente, a expectativa é chegar, entre novembro e dezembro, à imunidade de rebanho, com mais de 80% da população mineira totalmente imunizada. “Os números da pandemia estão melhorando em Minas semana após semana. Isso se deve à grande adesão da população à vacinação. A positividade, que indica como está a circulação do vírus, por exemplo, atingiu níveis iguais aos meses de maio e junho do ano passado. E o número de solicitações de internação por covid caiu 12% no último mês, o que reflete em menos óbitos”, reforçou

Briga

Em pouco menos de dois meses, inicia-se um novo ano eleitoral, que promete mais brigas. Em Minas Gerais, o atual governador Romeu Zema (Novo) parece ganhar fôlego. Pesquisa do Instituto HD Data, em parceria com o Dataquest, do mês passado, mostra que Zema é a preferência de 53%, enquanto de seu principal concorrente, o prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), 28%. A margem de erro é de 3%. Com a nova polêmica de Kalil na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da BHTrans e as reuniões entre vereadores sobre seu possível impeachment, a popularidade pode cair ainda mais. A reeleição de Zema, que em certo momento parecia frágil e ameaçada, agora se aproxima da certeza. O atual governador de Minas ainda terá grandes cartas na manga para melhorar sua imagem. Os recursos da Vale, em indenização da tragédia de Brumadinho, ajudarão o representante do Novo a ser “pai” de várias obras no estado, dentre elas, os hospitais regionais, como o de Divinópolis.

Grave acusação

Desde quando foi anunciado que Divinópolis receberia R$ 15 milhões da Vale em decorrência da tragédia de Brumadinho, a vereadora Lohanna França (Cidadania) cobra do Executivo uma audiência pública para discutir, com vereadores e moradores, o destino dos recursos. Na tarde de ontem, na Câmara, a parlamentar disse que os próprios colegas, em seus discursos, deixam claro, direta ou indiretamente, que “o Executivo ofereceu calçamento em troca de silêncio sobre a discussão do dinheiro da  Vale”. Lohanna reproduziu no microfone um suposto áudio em que o prefeito diz “o dinheiro da Vale, é o prefeito, junto com alguns vereadores, praticamente todos, para podermos destinar para fazer calçamento em bairros. Então não perde tempo com audiência pública porque você só vai perder seu tempo”. A ver qual será o posicionamento diante da grave acusação.

 

Comentários
×