Setembro começa com muitos produtos em safra

Optar por alimentos da estação faz bem ao corpo e ao bolso; confira preços

 

 

Jorge Guimarães

O mês de setembro tem muitas opções de frutas, legumes e verduras com bons preços para o consumidor final. São itens da safra – o que garante qualidade no consumo. Um deles é a banana-prata.  Outra fruta que é dica de consumo neste mês é a laranja pera rio. Dentre as hortaliças, um dos destaques para setembro é a cebola.

O consumidor encontra grande variedade de frutas nas feiras livres e nos supermercados durante todo o ano. Essa disponibilidade resulta do uso de algumas modernas técnicas de produção agrícola, envolvendo adubagem e sementes modificadas. Mas há a época da safra natural, período em que a natureza produz a fruta sem necessidade de intervenção. Daí a expressão popular “fruta da estação”, como é o caso da uva e da manga em meses mais quentes.

Saudável para bolso 

Optar pelos alimentos da safra é saudável para o corpo e o bolso. É o tempo que os alguns alimentos são mais produzidos e estão prontos para a colheita, sendo estes com melhor qualidade, preços mais baixos e mais frescos. É o que confirma Sérgio Antônio, gerente de uma loja de uma rede de supermercados.

— É sempre importante dar prioridade para os alimentos da época, por motivos como menor quantidade de agrotóxicos e sabores mais naturais, além de serem mais baratos — destaca a profissional.

Ontem o quilo da batata cenoura vermelha, laranja pera rio e melancia inteira estavam sendo comercializada a R$ 0,99. A pera argentina a R$ 1,89 e o tomate R$ 1,59. A cebola estava a R$ 1,99 e banana-prata a R$ 2,19. Sem falar no preço, em promoção, como a dúzia de ovos, que era vendida a R$ 1,99.

Sacolão 

Os sacolões também fazem a festa de muitos consumidores, principalmente nos bairros. Mas, segundo consumidores, é sempre bom pesquisar antes de ir a um supermercado ou mercearia.

— Lá perto de casa tem um sacolão onde aos domingos o quilo sai por R$ 1,49. É aonde vou para realizar minhas compras da semana. Se faltar alguma coisa eu compro durante, mas o grosso mesmo eu compro aos domingos — fala a dona de casa Lúcia Martins.

 

Comentários
×