Servidores denunciam omissão da Prefeitura por não afastar servidora que testou positivo

Sindicato afirma que conselheira foi mantida nas atividades mesmo com covid-19

Da Redação 

O Sindicato dos Servidores Municipais de Divinópolis (Sintram) enviará ofício ao Ministério Público (MP) depois de receber denúncia  contra a Prefeitura que não teria afastado servidora que testou positivo para covid-19. De acordo com o sindicato, o relato é que uma conselheira tutelar teve o exame confirmado na última terça-feira, 21, e a Administração foi comunicada, mas não tomou nenhuma providência para resguardar os servidores que prestam serviços no local e a população que busca atendimento. A diretoria do Sintram, representada pelo vice-presidente, Wellington Silva, esteve ontem pela manhã, segundo o sindicato, no Conselho Tutelar para verificar a denúncia e confirmou com a coordenação do

Conselho que as atividades estão normais, inclusive a conselheira não tinha sido afastada das atividades. Além de oficiar à Prefeitura para medidas urgentes de proteção à saúde dos servidores e da população, o Sintram informou vai levar ao conhecimento do MP a situação.  Ainda de acordo com o relato da denúncia recebida pelo sindicato, aos trabalhadores, ao recorrerem à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), foi alegado que existiam vários casos assim e não era possível tomar nenhuma medida.

Exame 

No exame da conselheira, disponibilizado ao sindicato, o IGM (primeiro anticorpo a ser produzido para combater uma nova infecção) é reagente. 

— Na descrição do exame, é relatado, segundo o Sintram que este resultado indica presença de anticorpos IGM contra o vírus Sars-COV-2 na amostra de sangue analisada, o que sugere infecção na fase ativa. Já o IgG (anticorpo produzido mais tardiamente e que fornece imunidade em longo prazo) foi não reagente. Ou seja, o resultado indica que não há anticorpos IgG contra o vírus na amostra de sangue analisada, sugerindo que não houve contato prévio com o agente infeccioso — informa o sindicato. 

Ainda no próprio exame, conforme o sindicato, é dada a recomendação à paciente de manter isolamento social por no mínimo 14 dias e realizar a higienização frequente das mãos, além de utilizar máscara para evitar a disseminação do vírus. 

— Monitore os sintomas e, caso sinta dificuldade respiratória, febre alta ou tosse,  procure a unidade de saúde. Mantenha os cuidados recomendados pelo Ministério da Saúde. https://coronavirus.saude.gov.br — relata o exame, segundo o sindicato. 

Providências

Wellington Silva disse que é mais uma situação absurda que vem à tona, depois de várias denúncias que o sindicato cobrou providências da Prefeitura para a devida segurança dos trabalhadores municipais. 

— Infelizmente, após meses de pandemia, a Prefeitura ainda protagoniza um caso absurdo desse, colocando em risco a saúde dos servidores, que prestam serviço no local e a própria população. Hoje mesmo encaminhamos ofício ao presidente do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus e secretário de Saúde, Amarildo Sousa, cobrando medidas urgentes conforme orientam as autoridades de saúde. Iremos levar essa omissão ao MP, inclusive o exame que nos foi disponibilizado — declarou Wellington.




Comentários
×