Servidores da segurança pública invadem Palácio da Liberdade

 

Gisele Souto 

Um grupo de representantes da segurança pública de Divinópolis estava entre centenas de servidores das forças de segurança (polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e agentes penitenciários) de várias cidades mineiras que protestaram ontem à tarde no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte. A princípio, o protesto era realizado em frente ao local. Porém, um grupo abriu o portão e invadiu o jardim da antiga sede do governo mineiro. Houve tumulto e muitos gritavam palavras de ordem, mas a manifestação foi pacífica.

 Reivindicações

 Os agentes reivindicam o pagamento de desvios de milhões, segundo eles, do Instituto de Previdência dos Servidores Militares (IPSM) e do Instituto de Previdência Social do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), a reposição das perdas salariais inflacionárias dos últimos quatro anos, o fim do parcelamento do salário e a exigência do pagamento no 5º dia útil do mês.

Eles afirmam que permanecerão no local de forma ordeira até que haja um posicionamento do governador Fernando Pimentel (PT). Por causa do ato, o acesso à praça da Liberdade ficou fechado.

 Divinópolis 

Um grupo de Divinópolis que teve à frente o vereador Sargento Elton (PEN) participou do ato. Ele discursou quando a palavra foi aberta aos manifestantes. Disse que estavam lá em 1997, quando houve ato semelhante. Afirmou que Pimentel não merece se sentar na cadeira de comando do Estado e que o governador não o representa.

— O Palácio da Liberdade é dos servidores, desgovernador Pilantrel — afirmou o sargento em suas redes sociais.

 

 

Comentários
×