Servidores da Prefeitura de Divinópolis paralisam em protesto contra o Estado

Ricardo Welbert

Servidores da Prefeitura de Divinópolis cruzam os braços nesta terça-feira, 21, em protesto contra o que o governo chama de "constantes atrasos em repasses de recursos por parte Governo de Minas". O ato ocorre em um dia de ponto facultativo no serviço municipal

Durante a manhã, trabalhadores protestaram no Centro Administrativo. O objetivo foi de chamar atenção da população e do governo mineiro para o prejuízo causado pela falta de repasses essenciais.

A secretária de Fazenda, Suzana Xavier, disse que o protesto reflete a insatisfação da Prefeitura contra a "arbitrariedade" do Governo de Minas.

— O Estado deve R$ 86 milhões à Prefeitura e isso implica na impossibilidade de realizar serviços para a população. Essa manifestação não é exclusividade de Divinópolis e esperamos que esse ato de protesto venha ter bons frutos. São recursos nossos e já não basta nossa baixa receita, termos que lidar com a falta de repasses — declarou.

IPVA

O procurador do Município, Wendel Santos de Oliveira, lembrou que a retenção dos repasses dos impostos começou com o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

— Essa luta nossa, que começa agora, não pode ter seu ímpeto diminuído. Que governador é esse que desprestigia a educação e coloca nos ombros dos prefeitos? Vamos nos permanecer coesos para outras manifestações que forem necessárias. Se o governador do Estado não está para brincadeira, nós, muito menos. Os municípios querem o que é de direito — afirmou Wendel.

Em protesto contra os atrasos nos repasses, a Prefeitura de Divinópolis decretou ponto facultativo nesta terça-feira, 21. O decreto 13.013/2018 foi publicado nesta segunda-feira, 20, no "Diário Oficial dos Municípios". Somente serviços essenciais funcionam nesta terça-feira, 21. 

Em apoio ao protesto, o presidente da Câmara, Adair Otaviano (MDB), fechou as portas do Legislativo nesta terça. 

Comentários
×