Serpentinas e confetes podem causar acidentes com a rede elétrica

Da Agência Minas

O pré-Carnaval já está aí e com a festa de Momo, em que foliões brincam com serpentinas, confetes, espumas e outros artigos, é importante alertar a população para a segurança com a rede elétrica. A Cemig afirma que um dos itens mais perigosos são os metálicos, que podem causar acidentes. 
 
De acordo com o gerente de Saúde e Segurança da Cemig, João José Magalhaes, desde 2012 vigora em Minas Gerais a Lei 20.374, que proíbe a produção, venda e uso do produto de serpentinas metálicas e seus similares. 
 
— O estabelecimento comercial que descumprir a lei pode sofrer uma multa de R$ 6 mil e, em caso de reincidência, o valor dobra, além de ele ferir o Código de Defesa do Consumidor — ressalta.
 
Ainda de acordo com o especialista da Cemig, as serpentinas e confetes comumente contêm metal em sua composição e podem causar curto-circuito quando em contato com a rede elétrica, por isso são itens perigosos e não devem ser utilizados no carnaval.
 
— Acidentes podem ser provocados por serpentinas e confetes metalizados arremessados em direção à rede elétrica.  Dessa forma, as pessoas não devem atirar, em hipótese alguma, nenhum objeto em direção aos cabos e equipamentos da Cemig, nem mesmo os sprays de espuma, que são condutores de eletricidade — afirma Magalhães. 
 
A Cemig tem feito um trabalho junto às Prefeituras Municipais, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Civil para que haja fiscalização preventiva em estabelecimentos que comercializam as serpentinas metálicas, além de fazerem autuação em caso de pessoas que manipulem os artefatos durante o carnaval. 
 
Fios partidos

Os riscos de choque com fios elétricos partidos nas ruas são outro motivo de atenção.

— Ao encontrar um fio caído ao solo, não se aproxime nem deixe ninguém se aproximar do cabo, pois ele pode estar energizado. Nesse caso, a recomendação da Cemig é que a população acione imediatamente a companhia pelo telefone 116 – que funciona 24 horas por dia – e aguarde a chegada dos técnicos no local — destaca João José. 
 
Em caso de perigo, a população também pode acionar gratuitamente o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Militar: o telefone dos Bombeiros é 193 e o da PM, 190.

Comentários
×