Séries: cancelamentos e salvamentos

Maria Tereza Oliveira

O início de outro ano sempre traz a sensação de recomeço, fechar ciclos antigos, começar novos, resolver pendências que ficaram e/ou dar continuidade nas questões que deram certo. É um pensamento muito parecido com uma temporada de série. Na era dos streamings, as séries ganharam um novo formato de planejamentos para evitar cancelamentos, mas isso não significa que eventualmente as obras não sejam interrompidas abruptamente sem um desfecho.

Na verdade, os cancelamentos de séries sempre foram temidos pelos fãs. Inclusive, há quem espere a série terminar para começar a assistir e assim evitar a frustração de se apegar às tramas que não são finalizadas. Além das séries canceladas antes do desfecho da história, ainda há aquelas que precisam encurtar a trama e entregar resoluções apressadas que raramente são apreciadas pelo público e a crítica. É aí que nascem as petições e protestos dos fãs. Mas por que cancelar uma série antes do planejado?

Terminou sem fim

Não é de hoje que os cancelamentos assustam o público. Inclusive há uma geração traumatizada pelo mistério envolvendo "Caverna do Dragão" (1983 - 1985). Será que os protagonistas voltaram para casa? Por que o Mestre dos Magos sempre desaparecia? O Uni ficou sozinho? Quem derrotou o Vingador? Afinal, por que ele precisava de um cavalo para voar, se quem tinha asas era ele e não o cavalo?

Enfim, são muitas perguntas que nunca tiveram resposta, ao menos oficialmente. Se procurar na internet, existem inúmeros "roteiros do episódio final", fanfics e até mesmo uma animação mostrando os supostos desdobramentos finais. Mas isso tudo não passa da criatividade dos fãs, nada é oficial.

Antes defensora e salvadora de séries canceladas, a Netflix parece ter trocado de lado e hoje é praticamente a rainha dos cancelamentos. Exemplos não faltam, como "I am Not Okay With This" (2020) após uma temporada, que fez muito sucesso. A história acompanha uma garota na puberdade que precisa lidar com dramas e conflitos típicos da idade, como perdas, angústias, descoberta da sexualidade, além da inclusão de superpoderes. A obra foi cancelada, de acordo com o streaming vermelhinho, devido à pandemia do coronavírus. E os fãs precisam lidar com a falta de resoluções de mistérios deixados de gancho para uma 2ª temporada que não virá.

"Anne with an E" (2017 - 2020) foi outra obra que, mesmo com inúmeros protestos, foi cancelada sem um desfecho após a 3ª temporada. Os fãs da "caipira ruiva" lotam as redes sociais da Netflix desde o anúncio do fim, mas parece em vão.

Mas será que se a série tiver reconhecimento da crítica, ela pode ser salva? Bom, aparentemente não. Pelo menos não rolou com a nacional "Ninguém tá olhando" (2019) após apenas uma temporada. A obra venceu o Emmy Internacional de melhor comédia, mas nem isso amoleceu o coração do executivo da Netflix. O problema, neste caso, parece ter a ver com a forma que o produto foi apresentado ao público. Como já abordado em uma coluna anterior, o marketing de um produto audiovisual impacta diretamente nos rumos dela. No caso, a série foi associada freneticamente a imagem de sua coprotagonista Miriam, vivida pela youtuber Kéfera Buchmann, tanto que as pessoas se referem a obra como "a série da Kéfera". Mas a obra, apesar de ser uma comédia, em nada lembra os outros trabalhos da atriz. A publicidade usada, além de afastar um público que poderia gostar da obra, atraiu um outro que tinha uma expectativa diferente. A série deixa diversos ganchos e mistérios sem respostas.

Gostinho amargo

Mas às vezes o barulho dos fãs é capaz de dar um desfecho para produções canceladas. Um dos casos mais famosos foi "Sense8" (2015 - 2017), cancelada após duas temporadas e um especial de Natal , a série era uma das produções mais caras da Netflix. Para a tristeza dos fãs, a história não havia sido concluída. Com inúmeros protestos, a Netflix acabou cedendo e fez um filme para encerrar a história em 2018. A obra dividiu opiniões, mas ao menos foi um desfecho.

A série "O Mundo Sombrio de Sabrina" (2018 - 2020) teve de ser encurtada após cancelamento da Netflix. A 4ª e última temporada, que chegou no último dia de 2020, em geral, não foi bem aceita pelo público que percebeu o ritmo corrido e resoluções fracas para problemas gigantescos, além dos destinos dos personagens.

2ª chance

Mas nem sempre os cancelamentos de séries são definitivos. Existem casos em que produções são canceladas de seu canal ou streaming original e salvas por outro.

É o caso de "Lúcifer" (2016-hoje), cancelada pela Fox após a 3ª temporada, mas foi salva pela Netflix. A série já teve duas temporadas na plataforma, mas está prestes a ter um desfecho definitivo pelo menos é o que se espera. A Netflix anunciou que a 6ª será a última.

Uma das melhores e mais queridas sitcoms quase teve um injusto fim. Estou falando de "Brooklyn Nine-Nine" (2013-hoje), cancelada pela Fox e salva pela NBC. A série que acompanha a delegacia mais pirada de New York permanece firme e forte e sucesso.

O que faz uma série ser cancelada?

Bom, essa é uma pergunta difícil de responder. Às vezes tem a ver com a audiência, pode ser o custo, problemas na produção, críticas, publicidade errada... Não há uma resposta específica, mas algo parece ser primordial: o desempenho da obra nas primeiras semanas de seu lançamento. Então, assim como no início do ano nos planejamos para realizar nossos propósitos, é bom dar uma moral para sua série favorita já no começo...

Maria Tereza é jornalista, apaixonada por cinema e cultura 

mariatereza.oliveira255@gmail.com

Comentários
×