Sentimento dividido

Sentimento dividido

Receber a primeira dose da vacina contra a covid-19 – seja ela de qualquer marca – sem sombra é conflitante. Ao mesmo tempo em que a felicidade e o alívio percorrem cada parte do nosso corpo, a angústia e a tristeza vêm à tona. Enquanto alguns estão vivendo este momento único, carregado da esperança de dias melhores, da volta à normalidade, essa chance foi negada a muitos outros, que não puderam sequer sonhar com sua vez; e a outros que estão neste momento lutando por suas vidas.

Em Divinópolis, segundo a Prefeitura, já foram aplicadas quase 100 mil doses dos imunizantes, e é fato que estas 68.985 pessoas - que receberam a primeira dose - e 30.759 — que já receberam a segunda dose — podem se dizer privilegiadas. Por mais que as teorias da conspiração tentem dizer que não, mas a única verdade que a humanidade tem neste momento é que vacinas salvam vidas. Elas têm feito isso cada dia mais com milhares de pessoas. E, pensar nisso sem pensar que este direito foi tirado de milhares de brasileiros é desumano, é surreal. Agradecer e ao mesmo tempo se entristecer por viver em um país onde os seus representantes não deram ao seu povo, direitos iguais. Agradecer por ser privilegiado, e se entristecer pelas vidas perdidas, pelas famílias devastadas, quando já se tinha vacina.

Hoje, o desejo é que mais e mais pessoas sejam privilegiadas. Que mais e mais sejam imunizadas. Talvez, a utopia do momento seja que cada vez mais gente acredite na ciência, no SUS, e na proteção, pois essa é a única salvação, quer o povo queira, ou não. Politizar e negar a doença só trouxe o país para o atual abismo. Que a cada dia mais pessoas possam viver essa sensação, mas sabendo que muitas outras foram salvas pela CIÊNCIA.

Comentários
×