Sensibilidade

Não se trata de brincadeira, foi dito em alto e bom som por um vereador ligado ao prefeito Galileu Machado, que o aeroporto voltará a ter voos se “houver sensibilidade” da secretária/tesoureira Susana Xavier. Para o vereador (que solicitou o anonimato por ser amigo da secretária), isto não é nada demais, apenas o reflexo da falta de autoridade depois da saída do super secretário Fausto Barros.

E o pior...

O mesmo vereador vaticinou que haverá em breve uma espécie de hecatombe no município, primeiramente pela falta de autoridade e, em segundo e mais importante lugar, pela falta de dinheiro. “Bangunçado o governo já está há um ano mais ou menos, pois Galileu já não é mais o cara das decisões importantes e em cima do joelho, agora quem manda é ‘aquela outra’, que todos conhecem, têm horror, mas não falam nada por temerem uma punição ou algo parecido”.

No meio da confusão...

...está o competente secretário José Alonso Dias, que detém um grupo forte de amigos e de gente disposta a ajudá-lo, mesmo com todas as dificuldades pessoais por que tem passado. Fosse ele a pessoa das decisões importantes, a Prefeitura teria outro ritmo, um andamento diferenciado, pois uma coisa é argumentar, a outra é negociar. O caso dos voos pararem ou não, por causa da empresa responsável pela sua continuação, é apenas de papo, conversa e comprometimentos. E isto somente quem tem cacife consegue fazer.

Futebol

Nunca foi o assunto predominante deste PB, mas, ao ver o Guarani com um pé na primeira divisão, vêm as lembranças das várias vezes que isto aconteceu. Nelas, invariavelmente os torcedores diziam que preferiam ver o Guará disputando a “segundona”, pois ali ele ganha mais do que perde. Já na “primeirona”, a torcida é sempre para não cair e perder é normal, aqui ou fora. E isto não é culpa de nenhuma diretoria, é da cidade que não apoia o seu time, que já disputou interessantes partidas fora do estado, colocando o nome da cidade várias vezes na loteria esportiva, dando luzes a esta terra que nem sempre é lembrada por quem tem a responsabilidade de gerir o seu futuro.

Mas...

...se o Guarani vai bem, o mesmo não se pode falar do cruzeirense, que viu seu time perder para o maior rival no domingo, levando um show de bola. O mesmo, com certeza, não ocorrerá no domingo, pois o Galo será pressionado o tempo todo, mas futebol é uma terra onde as suposições existem com firmeza. Suposições à parte, o repórter de esportes deste diário, que sempre esteve por aqui desde o seu primeiro exemplar, “fez” uma análise dos clássicos decisórios da competição e só falou do seu time do coração, esquecendo, de propósito, claro, que o Galo tem 44 títulos e o Cruzeiro apenas 36. Ele estava certo da vitória do amado Cruzeiro... deu no que deu!

A lei Kaboja

Acompanhado de mais sete marmanjos e provavelmente intencionados a cargos no governo de Galileu Machado, “Kabojinha”, como é conhecido entre os amigos que o elegeram, quer porque quer colocar goela abaixo uma lei pra lá de esdrúxula e que marcará toda a sua carreira política. Está perdendo pontos preciosos em uma futura campanha, pois ninguém neste país quer saber de nepotismo. Mesmo proibido, já tem gente nomeado, agora autorizado só sabe Deus! Sai dessa, menino, você é legal, bacana e não vai ganhar nada com esta bobagem. Melhor, vai, sim, muita antipatia!

Comentários
×