Semusa vai construir hospital de campanha para atender pacientes do coronavírus em Divinópolis

Da Redação
 
A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), em parceria com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS) apresentou nesta quarta-feira, 25, através das redes sociais oficiais do município, um plano de ação especial para o enfrentamento conjunto do coronavírus (Covid-19) em Divinópolis.

O plano inclui a montagem, estruturação e operacionalização imediata, em 10 dias, de um hospital de campanha com 20 leitos de Terapia Intensiva (UTI) e 20 leitos de observação para atendimento dos pacientes infectados pelo Covid-19, no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto. Segundo a Prefeitura, a proposta leva em consideração o contrato de gestão e operacionalização, já existente entre o IBDS e a Semusa, e a expertise do instituto na montagem e estruturação de serviços assistenciais na velocidade que o cenário epidemiológico exige. Os novos leitos para atendimento do Covid-19 serão totalmente destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e cumprirá todo o regramento aplicado a essa tipologia de serviço.

O corpo de profissionais será composto por 40 técnicos de enfermagem, oito enfermeiros, um coordenador médico, 16 médicos intensivistas, oito auxiliares de serviços, dois agentes administrativos, dois fisioterapeutas, dois psicólogos e um coordenador geral. O valor inicial do investimento é de aproximadamente R$ 1,4 milhão, podendo sofre variações se não houver o uso total de insumos.

O secretário de Saúde, Amarildo Sousa, lembrou que a UPA em Divinópolis, não é regional, mas atende algumas cidades da região, por isso a importância de um plano de ação que vise amparar o município para evitar um colapso na rede de saúde.

― Precisamos trabalhar preventivamente e correr contra o tempo. Quando falamos de saúde, não podemos esperar que quadros graves apareçam para que medidas sejam tomadas. Esperamos que, com os planos e propostas, possamos ter êxito no tratamento de possíveis infectados como em todo processo de combate ao vírus ― destacou Amarildo.

Enfrentamento ao vírus

A situação epidemiológica atual do Brasil aponta para o mesmo comportamento da pandemia observada na Itália, ou seja, é esperada uma similaridade na curva epidêmica de casos de infecção e, consequente, mais necessidade de leitos de maior complexidade. Reconhecendo a deficiência na cobertura de casos que necessitam de leitos de UTI e a dificuldade de acesso a esses equipamentos mesmo em períodos fora de epidemia no Brasil, o plano surge como proposta para prevenir um colapso na rede de saúde e para possibilitar tratamento e cura ao maior número de pessoas.

Divinópolis registrou o primeiro caso confirmado de Minas Gerais, o que mobilizou as autoridades e os especialistas da área da saúde que, desde então, trabalham na construção de medidas para minimizar o número de infectados.
Comentários
×