Semusa promove capacitação sobre hanseníase para profissionais da rede pública

Da Redação

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), através da Diretoria de Atenção à Saúde, promoveu capacitações sobre hanseníase com o objetivo de ampliar os conhecimentos e melhorar a capacidade de avaliação dos profissionais da rede pública. 

As capacitações foram ministradas pela Semusa, em parceria com a Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ) e Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). 

Em 2019, o município registrou dois casos novos, duas suspeitas de recidiva e um caso em investigação. Tem-se observado um aumento da detecção de casos novos com incapacidades físicas já instaladas, o que significa que o diagnóstico é tardio. Em número de casos, o Brasil ocupa o segundo lugar no mundo. 

O município preconiza o Plano de Enfrentamento Estadual de Hanseníase que possui como metas o aumento da detecção geral de casos novos em 10%, redução da proporção de casos novos em menores de 15 anos em 20% e redução da proporção de casos novos menor que 10% para aqueles com grau 2 de incapacidade (deformidade). 

Janeiro é o mês da campanha da conscientização e tratamento da hanseníase, sendo o laço roxo o principal símbolo. Esta doença de pele é transmitida por gotículas que saem do nariz ou pela saliva da pessoa, mas pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e, eventualmente, outros órgãos. 

Para o apoio técnico da Diretoria de Atenção a Saúde, Joseane da Silva, as capacitações são importantes ferramentas para diagnósticos precoces.

— Capacitar os médicos e enfermeiros da rede tem um papel fundamental no diagnóstico da hanseníase, que necessita de avaliação clínica, com aplicação de testes de sensibilidade, avaliação da força motora, apalpar os nervos e conforme avaliação do profissional, uma biópsia — disse.

 

Comentários
×