Seminário aponta caminhos para as tendências da construção

Três palestras foram realizadas na Fiemg no começo da noite de ontem

Pablo Santos

O Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon-Co) e o Sebrae-MG, em parceria com a Fiemg Regional, promoveram ontem o 4ª edição do Seminário da Construção Civil do Centro-Oeste de Minas. O setor ainda está com números modestos neste ano e o evento foi uma oportunidade de buscar novos mercados.

A edição de 2019 contou com três palestras e painel de debate: “Perspectivas e tendências de mercado para a construção civil”, com o palestrante do Sebrae Ton Pires; “Novas perspectivas de mercado:  O que está mudando no comportamento do consumidor de imóveis no Brasil”, ministrada por Guilherme Braga Wenner,  sócio consultor da Bureau de Inteligência Corporativa (Brain); e “As estratégias de marketing digital para impulsionar negócios do setor imobiliário” com Niury Martins, consultor do Sebrae.

O presidente do Sinduscon-CO, Eduardo Augusto Nunes Soares, destacou que a construção civil é o motor econômico, com grande capacidade de movimentar a economia.

— Vários produtos e serviços são interligados com a construção civil e esse dinamismo faz com que a busca por capacitação e inovação seja um diferencial no aumento da competitividade — afirmou.

Para o presidente da Fiemg Regional, Paulo César Costa, a construção civil é considerada o termômetro da economia com impacto em diversos outros setores.

— É importante buscar se capacitar e conhecer novas tendências para estar preparado para a retomada da economia, alavancada pela construção civil. O seminário é uma importante oportunidade para conhecer as perspectivas de mercado no setor — destacou.

Na região, o segmento conta com 1.580 estabelecimentos de construção que geram 11.938 empregos. Em Divinópolis, são 738 empresas na área da construção, gerando 2,3 mil empregos com carteira assinada, de acordo com Ministério da Economia.

Vagas

Os números neste momento apontam para um cenário negativo. De janeiro a setembro, a construção civil abriu apenas oito vagas na cidade. No mês passado, foram encerrados em Divinópolis 35 postos, resultado das 199 admissões e 154 demissões, apontou o Ministério da Economia.

Comentários
×