Semana oferece ações a pessoas com deficiência

 

Matheus Augusto

Superação e conscientização. Esta é a proposta da Semana Municipal da Pessoa com Deficiência, promovida pela Prefeitura. A intenção é, através de atividades educativas, apresentar as barreiras enfrentadas diariamente por pessoas com deficiência, bem como demonstrar a superação frente a esses obstáculos. A série de ações termina no próximo sábado, 31.

A abertura aconteceu no último domingo, 25, na Mostra de Artesanatos e Talentos, na praça do Santuário. As atividades contam com a parceria do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência.

Importância

Como não podia ser diferente, a proposta é de colocar a inclusão deste público em pauta.

— O objetivo da semana é abrir debates e colocar a sociedade em reflexão sobre o dever de igualdade para inclusão — explica a Prefeitura.

Ainda segundo o órgão, é fundamental destacar que, apesar das dificuldades, as pessoas com deficiência são capazes de superá-las.

— Durante a semana, a atenção irá se concentrar no potencial da pessoa com deficiência. Atividades serão realizadas para conscientizar, capacitar e envolver a população em questões que englobam deficientes, barreiras e potencialidades em locais como entidades, escolas, praça e outros — informou.

Câmara

A Câmara recebeu duas ações da semana. A primeira aconteceu na segunda feira, 26, quando Victor Mendonça e Selma Sueli Silva ministraram a palestra “Fascinante Mundo do Autismo”. A segunda está marcada para hoje, das 18h30 às 20h30. Na oportunidade, haverá uma audiência pública com o tema “Políticas públicas, acessibilidade, mercado de trabalho e transporte público”.

Programação

Amanhã, das 9h às 11h, o salão do Instituto Helena Antipoff sedia uma roda de conversa “Saúde do deficiente e Capsi”. No dia seguinte, às 8h30, acontece a Caminhada de Mobilização pelos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Fechando a agenda, no sábado, 31, das 8h às 11h, a Prefeitura promove o Festival de Atletismo na Universidade José do Rosário Vellano (Unifenas).

Adefom

36 anos de atuação. A data será comemorada no próximo mês pela Associação dos Deficientes do Oeste de Minas (Adefom) em Divinópolis. A entidade oferece diversas atividades educacionais, mercadológicas e de saúde para os associados.

O presidente da entidade, Carlos Roberto Beto da Silva, ressaltou que a promoção desta semana serve para reforçar as políticas públicas de inclusão existentes e a busca de soluções para outras dificuldades.

— É muito importante esta Semana Municipal da Pessoa com Deficiência para conscientizar o povo contra o preconceito, a discriminação, do direito à acessibilidade, do direito ao trabalho, educação. São direitos de todos. E as pessoas com deficiência, além dos problemas que todos têm, nós temos um a mais, que são as barreiras, as dificuldades. É importante esta semana para reforçar a conscientização e o direito de todos, porque a luta tem de ser diária — explica.

Ainda segundo o presidente da entidade, o número de deficientes varia conforme a atividade (oficinas, atendimento especializados etc.). No entanto, ele afirma que cerca de 500 pessoas passam pela Adefom por mês em busca de auxílio.

Atividades

No próximo mês, a Adefom completa 36 anos de atuação, tendo sido fundada em 7 de setembro de 1983. Carlos Roberto conta que diversas atividades são oferecidas visando à inclusão de pessoas com deficiência na escola ou no mercado de trabalho.

—A Adefom hoje presta vários tipos de serviços gratuitamente aos seus associados e luta pela inclusão e pelos direitos dos deficientes. Direito à acessibilidade, educação, lazer. Nós temos um Recursos Humanos (RH) que encaminha o deficiente para o mercado de trabalho, através da lei 8213. (...) Nós temos um sala-recurso que apoia os deficientes visuais para estudar nas escolas regulares, temos aula de orientação e mobilidade, ajudamos a preparar eles para os concursos públicos, aula de braile, informática. Temos também os núcleos, as oficinas de artesanato de música, de informática. Nós não cobramos nada de nenhum deficiente. É aberto à sociedade, a todos os deficientes e não cobramos nada — explica.

Dentre os serviços oferecidos também é possível encontrar uma clínica de fisioterapia, que atende 43 crianças deficientes.

Apoio

Carlos Roberto também ressalta que, além do apoio da Prefeitura, a organização conta com um convênio junto ao Sistema Único de Saúde (SUS).

— Temos uma fábrica de cadeira de rodas. Nós fabricamos as cadeiras de roda, de banho. Nós temos um convênio com o SUS e vendemos para o SUS, que distribuiu gratuitamente para quem quiser na região. Só que a demanda está bem reprimida, porque o SUS está repassando muito pouco por mês. Mas, ainda assim, são cerca de dez, vinte cadeiras por mês — destaca.

Sensibilidade

O presidente da Adefom ainda destaca que é fundamental que as pessoas se sensibilizem e compreendam as dificuldades enfrentadas por quem tem alguma deficiência.

— Estamos lutando, participando do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, e lutando pela inclusão dos deficientes. Estamos fazendo parceria nesta Semana Municipal da Pessoa com Deficiência e contribuindo como a gente pode. E também estamos lutando pela sensibilidade, dos buracos nas ruas, dos passeios com degraus e restos de construção na rua, que dificultam para a gente — conta.

Doações

Carlos Roberto também ressalta aos interessados em ajudar a entidade na manutenção dos serviços que as doações podem ser feitas via telefone ou pessoalmente.

— Não cobramos nada. A gente só pede a doação e a pessoa doa o que quiser. Quem quiser doar é só ligar (37) 2101- 4477 e pedir para falar com a Rose ou Janete. Pode doar através do programa da Cemig, pode dar o endereço que o mensageiro vai buscar, pode levar na sede. Tem muitos cofrinhos em muitos comércios que são parceiros da Adefom — explica.

Codiv

Durante a abertura da Semana Municipal da Pessoa com Deficiência, o Conselho de Orientação de Divinópolis (Codiv) realizou uma atividade para mais de 50 crianças que passaram pela praça do Santuário. A ação foi realizada em suporte ao Programa Azimute Norte, do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) em Divinópolis.

A organização informou que montou uma pista de orientação para deficientes intelectuais, pessoas com dificuldade de locomoção e outros. Segundo a entidade, o trajeto serve para que as crianças dos primeiros anos escolares tenham contato com a tomada de decisão, senso de direção, interpretação de mapas e outros sentidos.

 — É uma atividade lúdica,  usando cores, obtendo como resposta um "emotion", foi criada em Portugal, pelo professor Joaquim Margarido. Ele trouxe para nós em um Curso de Pre-O, que realizamos no Rio de Janeiro na cidade de Casimiro de Abreu-RJ. Aplicamos a primeira vez na Apae de Bom Despacho em 2017 e 2018. Foi um sucesso. Nesta oportunidade estamos realizando em parceria com a Fundação Helena Antipoff e Apae, ambas de Divinópolis — informou a Codiv.

Foto: Divulgação/Anna Carolina Bernardes

Legenda: Ações buscam fortalecer a inclusão de pessoas com deficiência

Comentários
×